As Metamorfoses da Esquerda Globalista: São Paulo & Paris

092

por paulo eneas
Na cobertura que fizemos ontem da apuração das eleições francesas, procuramos estabelecer os paralelos bastante evidentes entre as alternativas que a classe política e a esquerda globalista, tanto francesa quanto brasileira, encontram para assegurar a continuidade de seus projetos, ainda que fazendo algumas concessões. Essa capacidade que tem a esquerda de se metamorfosear, incorporando causas e ideologias e descartando outras conforme a conveniência, é o traço distintivo do movimento revolucionário desde sua origem.

Como esse movimento hoje se insere no esquema mais amplo de poder representado pelos globalistas, esquema esse que inclui os mega capitalistas e uma aliança umbilical com o mundo islâmico desde os anos cinquenta, essas metamorfoses nem sempre são evidentes à primeira vista. Principalmente quando são levadas a cabo pela socialdemocracia, que ao longo de décadas se esmerou justamente em levar adiante a agenda revolucionária, mas atuando de acordo com as regras formais do jogo democrático e, claro, respeitando a economia de mercado.

Um desafio para os conservadores hoje é perceber e compreender a rapidez com que a esquerda globalista está se reinventando e se adaptando aos novos cenários. Cenários como o ambiente pós impeachment aqui no Brasil, no qual o antipetismo se tornou o passaporte e o salvo conduto para continuar levando adiante a agenda globalista da esquerda, repaginada com a incorporação de alguns itens de uma pauta liberal, mas sem a mácula do finado petismo.

O mesmo se observou na França nas eleições desse ano, em que derrota já antecipada e previsível dos socialistas que governam o país foi mitigada pelo lançamento de um candidato socialista, que fez parte desse mesmo governo socialista, que fez carreira no Partido Socialista e que, em um lance extraordinário de alquimia política, ressurgiu no cenário eleitoral apresentando-se como um outsider moderno que afirma não ser de esquerda nem de direita.

A alquimia política representada pelo socialista globalista Emmanuel Macron será completada pela união em torno de sua candidatura de todo a esquerda e de todo o establishment político contra a candidatura de direita de Marine Le Pen. Na nota denominada  Partidos Tradicionais Derrotados: Elite da Classe Política Preservada que publicamos ontem durante a apuração das eleições francesas, fizemos uma brevíssima consideração a respeito desse tema, do qual continuaremos a falar a respeito em artigos futuros aqui no Crítica Nacional.

Ilustração: Fotomontagem de Angélica Ca. #CriticaNacional #TrueNews


 

8 comments

  1. O Brasil, com suas imensas riquezas e potencial, sempre foi cobiçado por potências estrangeiras.
    Um resumo do resumo. No mais, vocês estão assistindo lenta e paulatinamente a tomada do país, de forma subreptícia e indolor. No entanto, a Lava Jato pode estar sendo um “complicador” para esse cometimento. Não esperavam.Tomara.

  2. Se nas próximas eleições presidenciais brasileiras, o sr. Dória candidatar-se, não será surpresa para os leitores do “Crítica nacional” se o dito cujo utilizar as mesmas estratégias que o tal do Macron utiliza e utilizará para o embate com a sra. Le Pen.

    1. Pelo que vejo no noticiário político, o plano A do establishment ainda está de pé: Lula.

      Como ele é quem tem mais condições de ganhar, segundo as pesquisas, é mais provável que PT, PSDB, PMDB e outros Partidos envolvidos na Lava Jato apostem pesado na vitória dele, que pode usar o poder do Estado e de seus infiltrados (Academia, sindicatos, mídia etc.) para destruir as investigações.

      Não vejo um Doria eleito se esforçando para salvar Lula, FHC e Serra, por ex.. Por isso a candidatura dele não é apoiada pelo establishment até o momento.

  3. Pesquisem:
    Teoria das tesouras.
    Pacto de Princeton.
    Diálogo Interamericano.
    Clube de Roma.
    FORO de são Paulo.
    O PT PMDB e PSDB são cúmplices na roubalheira institucional perpetrada pelos políticos mafiosos.
    ENTENDAM DE UMA VEZ POR TODAS, O BRASIL ESTA SENDO SAQUEADO PELA CAMARILHA COMUNISTA MUNDIAL. O FHC, A BÚLGARA E O STALIN DE GARANHUS SÃO AGENTES DA DESTRUIÇÃO DAS RIQUEZAS DO BRASIL EM PROL DA INTERNACIONAL SOCIALISTA.ISSO É SÓ O COMEÇO DA DESGRAÇA.O GOLPE E A INSTALAÇÃO DO BOLIVARIANISMO NO BRASIL. A búlgara psicopata e o Stalin de Garanhuns acompanhados do FHC tem que responder por Crimes de responsabilidade e Crime de lesa- pátria…

Comentários