Prevaricação & Vazamento de Taxa Selic

_cn newsNo esforço que toda grande imprensa a serviço do petismo e de a esquerda vem fazendo para derrubar o governo de Michel Temer, tem-se repetido que o presidente teria cometido crime de prevaricação em seu encontro com o dono da JBS, além de ter lhe vazado informação supostamente privilegiada sobre a Taxa Selic. O crime de prevaricação está definido no Código Penal Brasileiro da seguinte forma:

Artigo 319 – Retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal. Pena: detenção, de três meses a um ano, e multa.

O áudio divulgado não sugere o presidente negociando interesses pessoais com o bandido da JBS para em troca retardar ou deixar de praticar atos de ofício. Quanto às afirmações de que o presidente deveria ter dado voz de prisão ao bandido da JBS quando este lhe relatou o cometimento de crimes:

a) O relato, como mostra o áudio, se deu de forma oblíqua e dissimulada o bastante que não permite ser caracterizado como confissão de crime do ponto de vista da materialidade de uma prova.

b) O presidente errou ao continuar o diálogo a despeito dessas revelações oblíquas, sendo que uma delas referente a um juiz mostrou-se depois que não passava de um blefe.

Quanto às alegações de vazamento de informações supostamente privilegiadas sobre Taxa Selic, elas chegam a ser risíveis e denotam a ignorância de quem comenta o assunto, a começar pelos militantes comunistas travestidos de jornalistas e comentaristas políticos.

Qualquer office boy de Bolsa de Valores é capaz de “cantar” a Taxa Selic um pouco antes da reunião do Comitê de Política Monetária. O próprio comitê antecipa o valor provável da taxa futura ao indicar o viés de alta ou de baixa, e consultorias do mercado financeiro costumam antecipar a taxa com precisão com base em análise de indicadores econômicos.

Mantemos a posição explicitada no artigo O Momento Político é Grave: As Esquerdas Estão Agindo de Modo Orquestrado Contra a Nação  publicado essa madrugada, onde entendemos que o presidente cometeu um erro político primário ao aceitar receber em palácio um bandido a serviço dos interesses do petismo.

#CriticaNacional #TrueNews


 

4 comments

  1. A Globo quer o Putin no comando do Palácio da Alvorada!!!
    .
    “Por que o Brasil está certo ao buscar adesão à OCDE”
    08 de maio de 2017
    .
    “Se aprovado pelo conselho da OCDE, o Brasil seria o único país a fazer parte do grupo BRICS e dessa organização simultaneamente (a Rússia tentou aderir à OCDE, mas desistiu quando invadiu a Crimeia)”.
    http://brasil.elpais.com/brasil/2017/05/08/politica/1494280126_581128.html

  2. Não concordo que tenha cometido erro primário. Não!
    Eu recebo o Fernadinho Beira-mar na minha casa. Vão pensar o que de mim? Ingenuidade, descuidado, tolo, imbecil, são adjetivos que caberiam. Fora desconfiar que faço parte de algum esquema do bandido.
    Ora, o senhor MT não é bocó o bastante para não saber quem estava recebendo. Na posição dele, não é erro primário.
    Querer derrubar o Presidente sem mais nem menos não é o meu caso.
    Essa é aminha opinião.
    Um abraço

    1. Editado ou não, são diversos outros anexos mostrando propinas e mais propinas para Termer e demais partidos.

      Uma conversa reservada que mostra a intimidade como o dono da JBS.

      E o Aécio? Ninguém fala? Também foi armação?

      São todos corruptos, e a despeito dos interesses revolucionários da esquerda todos, todos tem que ser depostos.

      Está mais do que na hora das FFAA criarem vergonha na cara e passar o fogo nessa zona. O país está em rumo ao precipício.

  3. Michel Temer é um mal menor perante o bolivarianismo, mas é notório que ele é um entrave ao combate às hordas bolivarianas que ainda assaltam e dominam o Estado pois se aproveita da corrupção e é herdeiro da mesma.

    Quanto a dizer que a conduta de Temer é criminosa ou não, deixemos isso com os profissionais do Direito, pois em meus parcos conhecimentos como ex-servidor público municipal e atual empregado de sociedade de economia mista, vejo como prevaricação a atitude dele em ouvir conversas temerárias (sem trocadilho) e não acionar as autoridades policiais que lhe são subordinadas.

Comentários