por angelica ca
O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, exigiu na quarta-feira (10/06) explicações da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) em seu papel de intermediário no envio de médicos cubanos para o Brasil para ajudar no enfrentamento da pandemia do vírus chinês.

“Quero expressar as preocupações dos Estados Unidos sobre o papel da OPAS na facilitação para o trabalho de médicos cubanos no Brasil. A OPAS deve explicar como chegou a ser o intermediário de um plano para explorar os trabalhadores médicos cubanos no Brasil”, disse Mike Pompeo em entrevista.

Mike Pompeo enfatizou que presumivelmente mais de 10 mil cubanos foram enviados para o Brasil, por intermédio do programa Mais Médicos, para reforçar as equipes de saúde no Brasil. O Secretário de Estado afirmou ainda que quem contrata médicos cubanos deve pagar-lhes diretamente e não ao regime cubano, uma vez que esse formato beneficia a ditadura comunista caribenha.

“A OPAS precisa explicar como chegou a enviar US$ 1.3 bilhão ao regime assassino de Castro, por que não buscou a aprovação do Conselho Executivo, seu próprio Conselho Executivo, para participar deste programa”, acrescentou.

O salário que um país que solicita ajuda paga por cada profissional cubano varia, mas os trabalhadores recebem apenas uma percentagem desse dinheiro, estimado entre 20% e 30%. O restante vai para os cofres do estado cubano, o que garante que essas receitas sejam usadas para financiar regime comunista da ilha.

Cuba enviou 34 brigadas, num total de 3.337 médicos e enfermeiros, a pedido de autoridades de 27 países de África, América e Europa. A França autorizou equipes cubanas a ajudar em seus territórios no exterior.

“Como fizemos com a Organização Mundial da Saúde,  OMS, o governo do presidente Donald Trump exigirá responsabilidade de todas as organizações internacionais de saúde que dependem dos recursos dos contribuintes dos EUA”, acrescentou.

Pompeo criticou recentemente o Catar e a África do Sul por aceitar médicos de Cuba para combater o vírus chinês, e acusou o regime comunista cubano de lucrar com a pandemia. Com informações de Times24.News e ArabNews.


Crítica Nacional Notícias: