por camila abdo e paulo eneas
O jornalista Oswaldo Eustáquio, preso na semana passada pela Polícia Federal em Campo Grande (MS)por ordem do ministro Alexandre de Moraes do STF, publicou na semana passada uma carta descrevendo as circunstâncias de sua prisão no contexto do crescente cerceamento à liberdade de expressão no país.

Na carta, publicada originalmente no site do Movimento Endireita Mato Grosso do Sul, o jornalista Oswaldo Eustáquio afirma que “a prisão determinada por Alexandre de Morais fere os direitos humanos e coloca em risco toda a classe dos jornalistas profissionais do Brasil”, e relembra o episódio que envolveu o jornalista norte-americano Gleen Greenwald, onde o STF garantiu sua proteção, após o Greenwald vazar conversas da equipe da Lava-Jato, obtidas de forma criminosa, através de um hacker.

“E coloca em parafuso a Corte que já decidiu no caso da jornalista, Greenwald, que cometeu crimes contra a Corte e vários autoridades com grampos ilegais, sequer pudesse ser investigado”. Na época, o Partido Rede, de Marina Silva, entrou com diversos pedidos na Suprema Corte, pedindo a proteção ao jornalista.

O Movimento Endireita MS esteve na sede da Polícia Federal em apoio ao jornalista e o líder do movimento, Rafael Tavares, afirma que a prisão foi totalmente arbitrária: “É mais uma decisão absurda do STF, estão prendendo todos que simplesmente não concordam com a corte. Nosso grupo não poderia jamais concordar com isso, quando ficamos sabendo, fomos os primeiros a chegar aqui na PF,  para dar todo suporte ao Eustáquio, não iremos abandoná-lo até que o direito de um cidadão e bem e patriota seja totalmente restabelecido”, afirmou o dirigente.

A íntegra da carta
“Eu, Oswaldo Eustáquio, de Jesus Cristo e do Brasil fui preso por defender a Democracia, minha pátria, aquilo que aprendi com meu pai, o subtenente de infantaria, Oswaldo Eustáquio.

A prisão determinada por Alexandre de Morais fere os direitos humanos e coloca em risco toda a classe dos jornalistas profissionais do Brasil. E coloca em parafuso a Corte que já decidiu no caso da jornalista, Greenwald, que cometeu crimes contra a Corte e vários autoridades com grampos ilegais, sequer pudesse ser investigado.

Estou preparado para este tempo, mas vocês conservadores serão minha voz, a voz do povo que vai mudar a história do Brasil nesta geração.
com amor. Osvaldo Eustáquio, jornalista.”

Na manhã desta terça-feira (30/06), o ministro Alexandre de Moraes decidiu prorrogar a prisão temporária do jornalista por mais cinco dias. O advogado do jornalista, Elias Mattar Assa, afirma que ainda não teve acesso ao processo, de modo que tanto a prisão quanto sua prorrogação estão eivadas de ilegalidades.


Crítica Nacional Notícias: