por paulo eneas
O jornalista Reinaldo Azevedo continua promovendo ataques sistemáticos à Operação Lava Jato, em particular contra o juiz Sério Moro de quem é um desafeto assumido. O jornalista chegou ao ponto de sair em defesa de Lula em seu esforço, seguramente em vão, de tentar deslegitimar a Lava Jato junto a seu minguado e declinante público.

É bem verdade que o jornalista propriamente dito está se tornando cada vez mais irrelevante. No entanto, importa  seguir as pistas deixadas pelas motivações de seu comportamento. Em nosso entender, a explicação para esse comportamento tem a ver com o impacto que a Operação Lava Jato pode causar, e já está causando, nos tucanos, que formam o núcleo duro e o coração da social-democracia brasileira.

É fato que a Lava Jato deixou de ser um problema para os socialistas do ponto de vista estritamente partidário, uma vez que estes já haviam descartado o PT desde antes da conclusão do impeachment, como estamos falando aqui no Crítica Nacional há mais de um ano. O partido serve hoje apenas como objeto a ser enlameado,  sendo até mesmo conveniente que tenha se tornado um para-raios das principais denúncias de corrupção.

Sob esta condição de para-raios, o petismo se tornou um conveniente cachorro morto, que segue sendo chutado enquanto se desvia o foco da continuidade da implementação da agenda da esquerda islâmico-globalista no país, implementação esta que antes estava a cargo do próprio petismo e que hoje é levada adiante pelo governo de Michel Temer, seja por ação deliberada ou por omissão.

Muitos petistas irão seguramente se safar política e legalmente do ocaso do PT, que poderá em breve ser extinto por decisão da justiça ou por decisão do eleitorado. Os socialistas do quase finado petismo têm à sua disposição outras siglas e estruturas partidárias para seguir adiante com sua agenda. No entanto, o mesmo não ocorrerá com os socialdemocratas, caso as investigações da Lava Jato venham a comprovar práticas de corrupção das principais figuras e lideranças do tucanato.

Sabemos que a socialdemocracia brasileira está praticamente toda ela reunida no partido dos tucanos. Caso as investigações comprometam de modo irreversível a imagem do partido, o dano à socialdemocracia como um todo será muito mais avassalador do que sobre os socialistas que já descartaram o petismo.

Portanto, ao nosso ver, é esse temor do prejuízo irreversível à socialdemocracia que explica em grande parte o comportamento do jornalista porta-voz oficioso do tucanato. Pois se a Lava Jato é um problema para os socialistas que estavam e ainda estão abrigados sob o petismo, ela é um problema muito maior para os socialdemocratas abrigados no tucanato, pois eles não terão outra sigla para onde ir se nau tucana começar a naufragar.

Publicado Originalmente em 12/05/2017. #CriticaNacional #TrueNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE