por paulo eneas
Morreu nesta quinta-feira em São Paulo um dos idealizadores e criadores do Foro de São Paulo, o comunista Marco Aurélio Garcia, que foi também fundador do PT. Exercendo o cargo formal de assessor especial da Presidência da República para assuntos internacionais durante os governos da era petista, Marco Aurélio Garcia foi quem na prática ditou e implementou a política externa brasileira daquele período, sendo o ministro de facto das Relações Exteriores, enquanto os titulares da pasta exerciam apenas um papel pró-forma.

Marco Aurélio Garcia assegurou a implementação das diretrizes do Foro de São Paulo durante a era petista no âmbito das relações internacionais, diretrizes essas que consistiam em fazer do país o financiador e avalista diplomático de regimes ditatoriais e comunistas na América Latina e na África. Esse papel de submissão da soberania e dos interesses nacionais a um projeto de poder regional do movimento comunista internacional foi desempenhado com afinco por Garcia, que desfrutava de relações privilegiadas com ditadores como Fidel Castro e Hugo Chávez.

Além de fazer o Brasil financiar e dar suporte diplomático a ditaduras comunistas latino-americanas e africanas, Marco Aurélio Garcia foi também o responsável por colocar o país sob a esfera de influência russo-chinesa, por meio da submissão dos interesses nacionais ao BRICS, que se trata formalmente de um projeto de bloco comercial envolvendo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Dizemos formalmente, pois o projeto de bloco serve apenas para a colocação do Brasil na esfera de influência russo-chinesa e, por extensão, do movimento comunista internacional.


Marco Aurélio Garcia em reunião do Foro de São Paulo.

Um dos projetos do BRICS, por exemplo, é o direcionamento do tráfego de internet dos países do pseudo bloco para um backbone no Atlântico Sul e Índico, denominado BRICS Cable. Se implementado esse projeto, o tráfego de internet desses países sairia da jurisdição dos Estados Unidos, onde a liberdade de expressão é assegurada, e permitiria o exercício pleno da censura e controle, como já ocorre na Rússia e na China.

A despeito de sua inegável capacidade e uma certa bagagem intelectual, é preciso ter em mente que nada do que Marco Aurélio Garcia fez saiu de sua própria cabeça. Os excelentes serviços por ele prestados ao movimento comunista brasileiro e internacional consistiram principalmente na implementação e execução de políticas e deliberações do Foro de São Paulo, ainda que ele tenha também contribuído como formulador para estas deliberações nas instância de decisão do Foro.

No vídeo abaixo, Marco Aurélio Garcia dá mais um testemunho do empenho do então governo petista em dar sustentação à ditadura narco-comunista venezuelana. 


#CriticaNacional #TrueNews


APOIE O CRÍTICA NACIONAL
CLIQUE AQUI E FAÇA SUA ASSINATURA OU DOAÇÃO


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário