João Doria & O Casamento Gay Coletivo Em São Paulo

O Portal G1 informa em matéria publicada nesse sexta que a Prefeitura de São Paulo, por meio de sua Secretaria de Direitos Humanos, irá promover um evento de casamento coletivo gay em novembro na capital paulista. O evento será “gratuíto”, ou seja, será custeado por todos os paulistanos. A Secretaria de Direitos Humanos da prefeitura paulistana é a mesma que em maio desse recusou-se a condenar o atentado terrorista muçulmano praticado por palestinos contra manifestantes que protestavam pacificamente na Avenida Paulista contra a nova lei de imigração. Em vez disso, o órgão da prefeitura paulistana emitiu nota condenando as vítimas do atentado.

A cada nova demonstração explícita de adesão plena às pautas e à agenda da esquerda globalista internacional por parte do prefeito João Doria, seja no acobertamento de terroristas muçulmanos em solo nacional, ou no apoio institucional ao proselitismo muçulmano nos bairros de periferia da cidade, ou na defesa do desarmamento da população, ou na promoção da agenda gayzista, cabe perguntar qual será o malabarismo retórico da vez que a chamada nova direita irá utilizar para justificar seu apoio às pretensões presidenciais do prefeito socialdemocrata e globalista pró-islâmico tucano.

Até o momento, todo o malabarismo retórico produzido por essa nova direita serviu apenas para mostrar que seus integrantes não passam de farsantes, que durante anos trafegaram com desenvoltura pelo campo da direita conservadora, com alguns deles apresentando-se até mesmo como parte da pretensa elite intelectual desse campo, por mero oportunismo e conveniência. Um oportunismo que se revela à primeira piscadela e ao primeiro flerte por parte da nova liderança socialdemocrata globalista emergente e de botox.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE