O governo italiano entrou novamente com pedido formal junto ao governo brasileiro para a extradição do terrorista e assassino Cesare Battisti, que vive no Brasil sob a proteção da esquerda brasileira, após ter obtido o status de refugiado que lhe foi concedido pelo comunista e ex-ministro da justiça Tarso Genro durante o governo Lula. Cesare Battisti foi julgado e condenado na Itália pelo assassinato de quatro pessoas. O crimes foram cometidos entre 1977 e 1979, quando Battisti fazia parte do grupo terrorista italiano Proletários Armados Pelo Comunismo.

Após ser condenado, Battisti fugiu para a França e em seguida para o Brasil, onde foi preso por decisão do STF, atendendo pedido do governo italiano. Durante julgamento de seu pedido de extradição no STF, o advogado do terrorista italiano foi Luis Roberto Barroso, hoje ministro da própria suprema corte, indicado pela ex-presidente Dilma. 

Em seu último dia de governo, o ex-presidente Lula decidiu manter o asilo de Cesare Battisti, que meses depois foi solto e passou a viver livremente no Brasil. A decisão Lula de proteger e dar abrigo a um terrorista e assassino condenado pela justiça de seu país chegou a prejudicar as relações entre Brasil e Itália durante um período.

Com o novo pedido de extradição feito pelo governo italiano, pedido esse amparado pela legislação brasileira e por decisão do STF de 2009, o presidente Michel Temer terá a possibilidade de reverter a decisão anterior e mandar extraditar o terrorista, para que este cumpra a sentença de prisão a que foi condenado pela justiça italiana. #CriticaNacional #RealNews #TrueNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário