Ministério Público Federal Recomenda Santander Reabrir Exposição Criminosa

O Ministério Público Federal do RS, por meio da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, sugeriu ao Banco Santander reabrir a exposição Queermuseu, uma amostra criminosa onde ocorria vilipêndio de símbolos religiosos e na qual crianças eram expostas a material pornográfico e de zoofilia, além de serem incentivadas em tocarem-se em salas-ambiente destinadas a essa finalidade. O procurador que encaminhou a recomendação de reabertura da amostra ao Banco Santander chama-se Fabiano de Moraes. 

Em suas alegações, o procurador diz que a amostra não faz apologia ou incentivo a pedofilia, contrariando documento oficial emitido pelo próprio Ministério Público do RS dias após o fechamento da amostra. Ele ainda faz alegações absurdas, comparando a decisão do banco de fechar a exposição com a censura a obras de arte praticadas pelo nazismo.

Esse episódio reforça o que estamos afirmando aqui no Crítica Nacional há muito tempo: com algumas honrosas exceções, o Ministério Público tornou-se uma instituição aparelhada a serviço de uma agenda ideológica de esquerda contrária aos interesses da maioria dos brasileiros. Em algum momento num futuro próximo o país terá que rever o papel e as atribuições dessa instituição, que tornou-se o quarto poder da república, é imune a qualquer controle por parte da população, e que constitui-se na elite do estamento burocrático a serviço de uma causa ideológica.

Com informações do Portal G1. #CriticaNacional #TrueNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE