por paulo eneas
A participação do deputado Jair Bolsonaro no programa da apresentadora Luciana Gimenez na noite dessa terça-feira foi umas das melhores performances do deputado em programas de televisão. Mostrou o quanto Jair Bolsonaro vem amadurecendo e aprimorando a sua capacidade de comunicar ao público, com clareza e precisão, o seu diagnóstico dos problemas do país, deitando por terra as acusações falaciosas de seus detratores de que ele supostamente não estaria preparado para ser o chefe de estado e de governo da nação.

Contribuiu também para o excelente desempenho de Jair Bolsonaro a maneira honesta e isenta com que a apresentadora conduziu a entrevista, fugindo do padrão de comportamento desonesto e tendencioso com que a quase totalidade da grande imprensa trata o principal postulante à presidência da república. Deve-se registrar que a mesma atitude profissional e isenta pôde ser observada também por parte do jornalista Claudio Dantas durante a entrevista da semana passada.

Estas exceções na conduta de alguns jornalistas no tratamento a Jair Bolsonaro merecem ser destacadas justamente por serem aquilo que são: exceções.  Pois, como foi afirmado durante o programa de ontem, e como estamos afirmando aqui no Crítica Nacional há mais de um ano, o tratamento que a grande imprensa dispensa, e continuará dispensando, a Jair Bolsonaro não distingue-se em nada do tratamento mentiroso e desonesto que essa mesma grande imprensa dispensou e também continua dispensando a Donald Trump.

O fato de alguns poucos jornalistas e figuras públicas terem começado a mudar o tratamento dado a Jair Bolsonaro é um indicador claro da afirmação de seu nome como um postulante legítimo e sério à presidência da república. Esse mudança de tratamento merece ser saudada, ainda que não deva de modo algum servir de ilusão: a maioria da grande imprensa continuará sendo hostil e desonesta com Bolsonaro, assim como foi com o então candidato Donald Trump.

Ocorre que um dos dados mais importantes da realidade do momento é que a hegemonia grande imprensa vem sendo quebrada aos poucos. Essa quebra de hegemonia faz com que a hostilidade com que essa grande imprensa trata e retrata lideranças conservadoras e de direita não impedirá que o nome de Jair Bolsonaro continue crescendo e consolidando-se junto aos brasileiros de bem. Da mesma forma que essa hostilidade não impediu que Donald Trump viesse a ser eleito presidente dos Estados Unidos.

#CriticaNacional #TrueNews


https://youtu.be/i5pyKsrFC0s

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE