por paulo eneas
A delinquente intelectual Judith Butler é a principal mentora da chamada ideologia de gênero, ou teoria queer, uma teoria pseudo-científica que procura negar a realidade objetiva das diferenças biológicas entre homens e mulheres, e tenta convencer as pessoas da possibilidade de substituir tais diferenças pelo conceito falacioso de fluidez de gênero, que por sua vez resultaria unicamente de uma construção sociocultural.

Conforme a própria autora reconhece em um de seus livros, a motivação para essa fraude teórica é de natureza político, e visa a criação de novos instrumentos de guerra ideológico-cultural e de engenharia social para que o movimento comunista revolucionário possa prosseguir na busca daquela que é sua meta central desde sua origem: a destruição da família como núcleo de base da civilização judaico-cristã, por meio da atomização dos indivíduos e sua submissão a um poder estatal totalitário de natureza socialista-comunista, conforme preconizado pela Escola de Frankfurt.

A presença de Judith Butler em nosso país não será bem-vinda de forma alguma. Não é coincidência o fato de que essa agente globalista do marxismo cultural e anti-cristão venha visitar o Brasil no mesmo período em que houve uma aceleração das ações da esquerda no campo da guerra ideológica, por meio de exposições pseudo-artísticas fazendo apologia à pedofilia e por meio de práticas de vilipêndio de símbolos religiosos cristãos.

Como bem observou o Padre José Eduardo em seu twitter, também não é coincidência que essa visita ocorra na mesma semana em que o MEC poderá aprovar o chamado BNCC, o núcleo comum da educação brasileira, cujo conteúdo está eivado de princípios da ideologia de gênero, contrariando decisão contrária do Congresso Nacional que rejeitou a adoção dessa excrescência pseudo-científica no sistema educacional brasileiro.

Diversos grupos e movimentos democráticos estão organizando uma manifestação de repúdio à visita da delinquente Judith Butler ao Brasil. A manifestação será realizada no dia 7 de novembro às 9h00 da manhã em frente ao Sesc Pompeia, na capital paulista. A página do evento no facebook pode ser acessada nesse link aqui. O Crítica Nacional apoia essa manifestação e está colaborando para a sua divulgação. No próximo domingo traremos um artigo especial sobre a falácia da ideologia do gênero, mostrando como essa pseudo-teoria não encontra amparo algum na ciência, especialmente na medicina.

#CriticaNacional #TrueNews