por paulo eneas
Ao anunciar o nome do economista Paulo Guedes como seu provável futuro Ministro da Fazenda, Jair Bolsonaro fez mais do que marcar um golaço:  ele e sua equipe demonstraram possuir uma estratégia para conduzir o projeto de candidatura. O anúncio de Paulo Guedes, um economista de perfil liberal e de reputação inquestionável, neutraliza e joga por terra as acusações, que de resto eram infundadas, de que Jair Bolsonaro não possuía propostas econômicas para o país, ou de que seria um político preso a concepções estatistas na economia e que, por conta disso, não estaria preparado para chefiar o país.

A indicação de Paulo Guedes refletiu-se positivamente no mercado financeiro na segunda-feira: a Bolsa de Valores de São Paulo subiu tão logo o anúncio foi feito, após ter experimentado uma queda com o anúncio da desistência do candidato fantoche da Rede Globo. O anúncio recebeu elogios por parte de economistas de diversas correntes, inclusive daqueles que até aqui mostravam-se críticos, em maior ou menor grau, ao nome de Jair Bolsonaro, como o colunista Rodrigo Constantino. Portanto, além de marcar um golaço e neutralizar críticas, ainda que infundadas, a respeito de suas propostas econômicas, Jair Bolsonaro e sua equipe conseguiram, com o anúncio de Paulo Guedes, agregar mais apoio ao projeto de sua pré-candidatura.

Essa ampliação tem uma relevância enorme pois Jair Bolsonaro, ao contrário de algumas análises equivocadas que aparecem nas redes às vezes, já possui um eleitorado fiel e crescente, que dificilmente irá migrar de maneira significativa para algum outro nome que venha a surgir nessa fase da pré-campanha, principalmente se esse outro nome for mais um balão de ensaio do establishment político e midiático, como vários que já surgiram e murcharam ao longo desses meses, o que inclui o prefeito tucano paulista e a já moribunda pré-candidatura do apresentador de televisão global e globalista.

Obviamente outros nomes exóticos e folclóricos que estão surgindo como pré-candidatos não merecem ser levados a sério. O fato inegável é que, podendo contar com um eleitorado fiel e uma militância voluntária muito superior, em quantidade e em qualidade, do que aquela de qualquer outra candidato, incluindo os da esquerda, resta a Jair Bolsonaro crescer junto a outros segmentos que ainda não aderiram ao seu nome ou que até mesmo apresentam ainda alguma objeção.

Com a apresentação do nome de Paulo Guedes, ocorrerá uma quebra natural dessas possíveis rejeições nesse setores, e com isso a ampliação do potencial eleitoral de Jair Bolsonaro virá como decorrência do processo político sucessório, no qual ele consolida-se como o nome favorito na disputa. Mais do que um golaço, a decisão de Jair Bolsonaro e sua equipe de anunciar o nome de Paulo Guedes foi uma demonstração de como começar a disputa de um jogo para vencer. E com muitos golaços. #CriticaNacional #TrueNews


COMPARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

COMENTÁRIO: