por emma sarpentier
O venezuelano Edgar Maestre encontra-se preso nos Estados Unidos desde 2013 acusado por tráfico de drogas. Durante audiência realizada nessa quinta-feira na justiça de Nova York, ele declarou-se culpado pelo crime de tráfico. De acordo com informações obtidas pelas investigações do governo dos Estados Unidos, o traficante Edgar Maestro é membro do serviço de inteligência do regime de ditadura narco-comunista de Nicolás Maduro.

Também nessa quinta-feira, a justiça norte-americana condenou dois sobrinhos do ditador Nicolas Maduro, também acusados pelo crime de tráfico de drogas. Ambos foram condenados a dezoito anos de prisão. O crime de tráfico de drogas nos Estados Unidos pode resultar em prisão perpétua em alguns estados, e por isso acredita-se que a pena relativamente branda aplicada a ambos decorre de algum acordo de colaboração com a justiça norte-americana, ou delação premiada.

Segundo fontes, por meio desse acordo os sobrinhos do ditador narco-comunista podem ter concordado em delatar o esquema de tráfico de drogas para os Estados Unidos operado pela cúpula do regime de ditadura da Venezuela. Estima-se que cerca de oitenta por cento do tráfico mundial  de cocaína seja hoje operado pelo regime chavista venezuelano.

Tão logo a notícia veio a público, o ditador Nicolás Maduro, que regressava a Caracas vindo de uma viagem à Turquia, decidiu mudar seu roteiro e dirigiu-se à Havana, em Cuba. O aperto dos serviços de inteligência norte-americanos podem levar parentes e pessoas próximas da cúpula do regime de Nicolás Maduro à condenação por tráfico. Outros integrantes do regime comunista venezuelano já receberam condenações internacionais por envolvimento no tráfico mundial de drogas.

Emma Sarpentier é dirigente do Movimento de Resistência Rumbo Libertad e colaboradora do Crítica Nacional em Caracas. Edição de texto de Paulo Eneas. #CriticaNacional #TrueNews

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário