por paulo eneas
O regime de ditadura narco-comunista venezuelano declarou nesse sábado o embaixador brasileiro na Venezuela, diplomata Ruy Pereira, persona non grata naquele país. A decisão foi comunicada por Delcy Rodriguez, presidente da Assembleia Nacional Constituinte venezuelana, um organismo chavista ilegítimo e não reconhecido internacionalmente, que usurpou os poderes do parlamento venezuelano.

A declaração, que não constitui-se exatamente em um rompimento de relações diplomáticas entre os países mas um esfriamento de relações, foi dada logo após o presidente Michel Temer ter afirmado que concordaria com a volta da Venezuela ao Mercosul após o restabelecimento da democracia no país caribenho.

O episódio constitui-se em mais uma humilhação diplomática internacional para o Brasil, em prosseguimento à diplomacia de anão iniciada pela era petista e continuada durante o governo de Michel Temer. O governo brasileiro recusa-se a usar o peso geopolítico e diplomático do Brasil na região para denunciar e combater a ditadura de traficantes e comunistas que controla a Venezuela a mando da ditadura cubana, e seguindo as diretrizes do Foro de São Paulo

Em vez de denunciar e combater o regime venezuelano, o Brasil limita-se aos aspectos puramente formais das relações diplomáticas entre os dois países, o que na prática fortalece a ditadura comunista daquele país caribenho. E fortalece de tal modo que a ditadura venezuelana sente-se segura o bastante para rosnar em direção ao Brasil, convicta que está de que o atual governo brasileiro jamais irá tomar alguma iniciativa que possa pôr um fim ao regime de ditadura venezuelano.

Nesse sentido, o governo brasileiro continua sendo cúmplice daquele regime por omissão, e prossegue com  seu vexatório papel de nação pária e anã no cenário geolítico internacional. #CriticaNacional #TrueNews



CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário