por paulo eneas
Jorge Mario Bergoglio, que ocupa a chefia da Igreja Católica, faz viagem pela América do Sul. Nessa viagem preocupa-se em falar a índios não para evangelizá-los, como fizeram os verdadeiros cristãos que aqui chegaram há cinco séculos, mas para endossar suas revindicações que nada mais são do que instrumentos de guerra política dos globalistas. 

Em sua viagem, o senhor Bergoglio não disse uma palavra sobre a perseguição aos cristãos na Bolívia, assim como silencia ante o genocídio do povo venezuelano perpetrado por seu amigo e companheiro, o ditador comunista e narcotraficante e preposto cubano, Nicolas Maduro.

O senhor Jorge Bergoglio que encontra-se em viagem pelo continente sul-americano é o mesmo que, em solo europeu, preocupa-se em primeiro lugar em defender e proteger os invasores muçulmanos. E no exercício dessa defesa quase obcecada,  ele não hesita em até mesmo cometer aquilo que poderia ser entendido como heresia, conforme mostrado em artigo nosso do ano passado que pode ser visto nesse link aqui.

Trata-se do mesmo senhor que jamais menciona o fato de que os cristãos formam o grupo religioso mais perseguido do mundo, em uma perseguição que vitimiza mais de cem mil inocentes por ano. Jorge Bergoglio jamais menciona, ou no mais das vezes elide, o fato objetivo de que os maiores inimigos do cristãos são os muçulmanos a quem ele protege e os comunistas-globalistas a quem ele objetivamente serve.

Ao endossar e reproduzir as narrativas vitimistas pró-islâmicas, e propagar e difundir toda a agenda multiculturalista criada pelos comunistas-globalistas com o objetivo fazer engenharia social para fins de solapamento da civilização que foi, fundamentalmente, construída pela Igreja que ele mesmo chefia, Jorge Bergoglio atua objetivamente contra a Igreja e os cristãos.

Ainda que essas afirmações possam ferir a sensibilidade religiosa, seguramente sincera e honesta, de muitos leitores, elas expressam não uma opinião, mas uma descrição objetiva de fatos concretos. E essa verdade objetiva, por mais dolorosa que seja para muitas pessoas, não pode de modo algum ser ocultada ou negada. #CriticaNacional #TrueNews


Encontro do Papa com os Povos da Amazônia

Peru "Plasmar uma Igreja com rosto amazônico e com rosto indígena": reveja um trecho do discurso do Papa Francisco aos Povos da Amazônia e alguns momento do encontro desta manhã em Puerto Maldonado.

Publicado por Vatican News em Sexta-feira, 19 de janeiro de 2018


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE