por paulo eneas
Imagens de televisão mostram cenas de guerra civil na manhã dessa quarta-feira no Rio de Janeiro. A linha amarela, uma das principais vias da cidade, está fechada devido ao tiroteio entre os criminosos e as forças policiais. Até o momento, dois traficantes morreram, não havendo informações de baixas entre policiais até agora. As imagens mostram criminosos encapuzados atirando paus e pedras na via, além do ateamento de fogo em pneus na pista.

A cidade do Rio de Janeiro é a síntese do resultado de mais duas décadas de políticas progressistas e de esquerda na área de segurança pública. Políticas de segurança pautadas pelos princípios de tolerância com o tráfico de drogas, de preocupação com direitos humanos dos bandidos, de total indiferença em relação às vítimas reais do crime, e de demonização e restrições legais e burocráticas ao trabalho das forças da lei e da ordem para fazer o enfrentamento da criminalidade.

O problema da violência urbana na capital carioca, bem como no resto do país, jamais será resolvido enquanto as políticas de segurança estiverem pautadas pela mentalidade esquerdista. A segurança pública jamais será resolvida enquanto a população não tiver acesso legal a armas para exercer seu direito natural de auto-defesa. E jamais será resolvido enquanto não forem desmanteladas as relações criminosas existentes entre o crime organizado e o partidos políticos de esquerda que promovem as políticas de segurança que beneficiam e protegem o crime.

A violência e criminalidade que imperam no país, que resultam no assassinato de mais de cinquenta mil pessoas por ano, dependem essencialmente de uma virada à direita e conservadora no poder político. Uma virada que ponha um fim às políticas de segurança pautadas pela esquerda e submissas às diretrizes globalistas da ONU, diretrizes essas que visam essencialmente proteger criminosos e traficantes, condenar e demonizar as ações das forças da lei e da ordem e submeter a população ao medo e ao terror.

O problema da violência e da criminalidade é, portanto, um problema de escolhas políticas. Nas últimas décadas, as escolhas feitas foram aquelas que protegem bandidos e criminosos. É necessário agora reverter esse quadro, por meio de mudança de poder político que venha implementar escolhas que protejam de fato a população, assegurando-lhe em primeiro lugar o direito de auto-defesa, e que assegure e garanta o trabalho efetivo das polícias no combate ao crime. A solução para o problema da criminalidade é questão de escolha política, e somente poderá ser dada pela direita conservadora. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

Comente com seu perfil do facebook: