por paulo eneas
Os jornais desse domingo trouxeram algumas matérias e notas a respeito do líder petista condenado pela justiça que, basicamente, confirmam o que estamos afirmando no Crítica Nacional já há muito mais tempo. O noticiário permite depreender que:

a) O estamento burocrático, incluindo o judiciário, parece de fato já ter descartado o líder petista condenado e não mostra-se disposto a salvar sua pele. E esse descarte pode ser atribuído em parte ao segmento do judiciário que não chegou a ser corrompido pelo petismo, e que procura fazer o que é correto.

b) Esse descarte pode ser atribuído também ao fato de aquele segmento do judiciário comprometido com uma agenda ideológica e com o ativismo judicial, especialmente o STF e mesmo o Ministério Público, estar ciente de que pode perfeitamente prescindir do petismo e de seu líder decadente para seguir com essa agenda. 

c) A versão plantada nas últimas semanas de uma suposta barganha, por meio da qual o líder petista ficaria livre da cadeia em troca de uma promessa de não participar das eleições, possivelmente nunca passou disso: uma notícia plantada pelos próprios petistas para tomar pulso da viabilidade dessa estratégia de desespero, mas sem qualquer lastro na realidade.

d) A nota divulgada essa semana pelo O Antagonista afirmando que estaria “tudo armado” para livrar o líder petista da cadeia, sendo que a entrada do pedido de habeas corpus no STF faria parte dessa armação, não passou de especulação e chute disfarçado de análise política, prática corriqueira e bastante comum daquele blog. O ingresso com pedido de habeas corpus na suprema corte já era esperado.

e) A hipótese de tentativa de fuga do líder petista condenado, disfarçada de pedido de asilo político em embaixada de país bolivariano, já vem sendo considerada abertamente. O que sinaliza que o establishment petista possivelmente já queimou todos os cartuchos que ainda restavam e que agora a única preocupação é tentar impedir que país inteiro assista as cenas mostrando o líder petista-comunista sendo levado a um presídio pela Polícia Federal.

As consequências da possível prisão e a pauta que realmente importa
Na hipótese de todas as opções de fuga e chicanas jurídicas falharem e a prisão do líder petista de fato ocorrer, não vai haver convulsão social e muito menos ameaça real de desestabilização promovida pela milícias petistas. Essa ameaças existem desde a época do impeachment e nunca passaram de um blefe.

Caso a prisão ocorra, o máximo que poderá haver é a ocorrência de distúrbios localizados e efêmeros, que as forças policiais poderão conter sem maiores dificuldades. O mais provável e realista é que venhamos assistir a população aplaudir ou no mínimo ficar indiferente aos cassetetes da lei e da ordem sendo baixados no lombo de mortadelos desesperados.

Por fim, entendemos que não faz muito sentido que o tema da condenação e consequente prisão ou fuga do condenado petista continue pautando o noticiário, pois isso acaba desviando o foco do tema que é de real interesse estratégico de todos os brasileiros: a necessidade de exigir e assegurar a legalidade das eleições.

A legalidade das eleições passa pela exigência do cumprimento da lei do voto impresso na totalidade das urnas, a não participação de empresas estrangeiras envolvidas em fraudes eleitorais, e a exigência de transparência na apuração dos votos. Esse ao nosso ver é o tema prioritário que deve ocupar as atenções e as preocupações dos brasileiros de bem que estejam realmente preocupados com os destinos do país. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews

Comente com seu perfil do facebook: