por paulo eneas
O jornal Folha de São Paulo, o veículo mais mentiroso e desinformante e esquerdista de toda a mídia impressa brasileira, anunciou que não irá mais publicar atualizações de conteúdo em sua página no facebook. O jornal inventou uma desculpa retórica para justificar sua saída, atribuindo a responsabilidade ao algoritmo de facebook, mas fundamentalmente culpando os leitores pela decisão, pois estes supostamente estariam dando preferência a outras fontes de informação, que o jornal chama cinicamente de fake news.

A verdadeira razão para a saída, ao nosso ver, é outra: o jornal está perdendo a guerra que ele trava com seus próprios leitores no que diz respeito ao compromisso com a verdade. Pois quando um veículo como a Folha de São Paulo (o mesmo vale para a Revista Veja ou um colunista como Reinaldo Azevedo) publica conteúdos nas redes sociais, ele está expondo-se a um público que possui outros critérios para avaliação de conteúdos jornalísticos.

Esse público tem acesso a outras fontes de informação, o que permite a esse público confrontar o conteúdo publicado pelo jornal com estas fontes e tirar sua própria conclusão. Como o jornal não tem compromisso algum com a verdade, sendo ele mesmo o maior produtor de fake news do país, ao lado da Rede Globo, a reação do público leitor é imediata: um rechaço e rejeição ao conteúdo publicado, que via de regra é falso e mentiroso.

Isso pode ser observado na interação do público leitor na página do jornal: alguns conteúdos são reprovados e contestados por quase cem por cento dos leitores que fazem comentários, o que reforça ainda mais a rejeição ao jornal e a consequente perda de leitores. O mesmo ocorre no próprio website da Folha de São Paulo: a esmagadora maioria dos comentários feitos pelos leitores é de reprovação e de contestação ao conteúdo publicado.

Portanto, o problema da Folha de São Paulo não é o algoritmo do facebook. O problema é a falta de compromisso com a verdade por parte do veículo e seu esquerdismo visceral e desinformante. Os leitores que têm acesso a outras fontes de informação, como esse próprio Crítica Nacional, ou o Canal Terça-Livre ou Mídia Sem Máscara e outros veículos fora do mainstream da grande imprensa, simplesmente não aceitam as mentiras que o jornal publica.

A saída das redes sociais não irá resolver o problema da Folha de São Paulo, pois o problema do jornal não está nas redes sociais e sim nele próprio, que é um produtor de fake news desonesto e desinformante. A Folha de São Paulo não está apenas perdendo leitores: ela está perdendo a guerra que decidiu travar contra a verdade, e no médio prazo a Folha de São Paulo terá que decidir não sobre sair das redes sociais, mas sim sair de circulação. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

Comente com seu perfil do facebook: