por paulo eneas
O burocratas não eleitos do Tribunal Superior Eleitoral ignoram as leis e têm um profundo desprezo pelos partidos e pela classe política, além de serem completamente surdos ao desejo e a vontade expressa da maioria dos brasileiros: a vontade e o desejo de votar em eleições limpas e transparentes e cujo resultados, apurados publicamente, reflitam de fato a decisão da maioria do povo.

Ao decidir não cumprir a Lei do Voto Impresso, que determina a implantação do mecanismo de impressão em todas as urnas eleitorais, os burocratas não eleitos do Tribuna Superior Eleitoral ignoraram solenemente o Congresso Nacional Brasileiro, a única instituição dentre os três poderes da República cujos integrantes são eleitos pelo povo, sendo portanto a única instituição de poder que detém a legitimidade para dar a última palavra sobre como deve ser o processo eleitoral.

Os burocratas não eleitos do Tribunal Superior Eleitoral decidiram não cumprir a lei votada duas vezes pelo parlamento, e com isso estão levando as eleições para o campo da ilegalidade, da incerteza e da desconfiança por parte do eleitorado, disseminando o descrédito e comprometendo a legitimidade do pleito. Ou seja, os burocratas não eleitos do Tribunal Superior Eleitoral estão atentando contra a democracia e contra as instituições da república.

Mais do que descumprir a lei, os burocratas não eleitos do Tribunal Superior Eleitoral decidiram dar um tapa na cara de cada um dos homens e de cada uma das mulheres do Congresso Nacional que há mais de dois anos votaram uma lei determinando a impressão do voto em todas as urnas. Uma lei que os burocratas não eleitos do Tribunal Superior Eleitoral decidiram simplesmente que não irão cumprir.

Resta saber se os homens e mulheres do Congresso Nacional irão aceitar passivamente esse tapa na cara e essa humilhação pública que Tribunal Superior Eleitoral está impondo a cada um deles e a cada uma delas. Esperemos que não aceitem! Esperemos, outrossim, que tenham honra e dignidade o suficientes para fazerem valer suas decisões. Esperemos que o Congresso Nacional cumpra seu papel constitucional e vote nos próximos dias em caráter de urgência um Decreto Legislativo obrigando o Tribunal Superior Eleitoral a cumprir a lei.

E que esse decreto legislativo estabeleça que, a persistir a recusa dos burocratas da côrte eleitoral em cumprir a lei, que eles sejam afastados da condução das eleições e processados por crime de improbidade administrativa e desvio de conduta. E que a condução do processo eleitoral seja entregue a uma instituição que tenha acima de tudo compromisso com o país e com as leis, para assegurar que a vontade do povo seja respeitada.

Ao nosso leitor:
Convidamos o leitor do Crítica Nacional a enviar esse texto ao maior número possível de parlamentares. Para isso,  o leitor pode usar a Lista de Emails de Deputados Federais, que pode ser acessada nesse link aqui. Os brasileiros não podem ficar de braços cruzados diante dessa ação criminosa do Tribunal Superior Eleitoral, que pretende levar as eleições para o campo da ilegalidade e da fraude.  #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

Comente com seu perfil do facebook: