Eleições Italianas: Informe Preliminar

A esquerda globalista e pró-islâmica sofreu uma derrota nas eleições italianas desse domingo. A extensão dessa derrota ainda precisa ser analisada, após a conclusão da apuração dos votos e a formação do novo governo. Entre os partidos mais bem votados estão a Liga Norte e o Força Itália. O chamado M5 ainda é uma incógnita em relação a seu real posicionamento político. O governista Partido Democrático sofreu uma derrota avassaladora: menos de vinte por cento dos votos, o que poderá representar um dos mais importantes reveses para os socialdemocratas globalistas europeus nos últimos anos.

A tônica dos discursos e das plataformas políticas dos partidos vencedores foi a de defesa da soberania italiana, rechaço às tentativas de imposições políticas por parte da União Europeia e a condenação intransigente das políticas imigratórias open-borders e pró-islâmicas. Sílvio Berlusconi, da coligação Força Itália, foi enfático em sua campanha ao prometer expulsar do país os cerca de meio milhão de imigrantes ilegais, em sua maioria invasores muçulmanos.

Aguardaremos o fim da apuração dos votos e a formação da coalizão governista para fazer uma análise mais apurada. Mas por enquanto cabem duas observações, que dizem respeito aos brasileiros:

a) As eleições italianas são feitas em cédulas de papel. Não há pressa para a apuração dos resultados.

b) O blog O Antagonista fez uma das análises mais estúpidas de toda a grande imprensa brasileira a respeito das eleições ao afirmar, como mostra nota nesse link aqui, que a Europa é a culpada pelo resultado do pleito italiano. E atribui essa culpa ao fato de países europeus terem supostamente fechado as portas à invasão muçulmana. 

Confiar em analisa político da grande imprensa brasileira para compreender o cenário geopolítico contemporâneo é o mesmo que confiar no parecer de um confeiteiro para tomar decisão sobre cirurgia cardíaca. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE