por paulo eneas
Durante ato político com o PSL na noite dessa quarta-feira em Brasília, o deputado Jair Bolsonaro afirmou que pretende desde já anunciar as pessoas que estarão ao seu lado em um provável futuro governo. Além dos anúncios já feitos anteriormente de Paulo Guedes para a área de economia, que resultará da fusão dos ministérios da Fazenda e do Planejamento, e da decisão já tomada de nomear um general de quatro estrelas para o Ministério da Defesa, Jair Bolsonaro reafirmou sua decisão de reduzir a máquina do governo para quinze ministérios.

Durante sua fala ele anunciou a intenção de colocar à frente do Ministério da Agricultura, que irá absorver e incorporar a área do meio ambiente, um profissional ligado ao setor produtivo agrícola. Reafirmou sua intenção de extinguir cerca de um terço das empresas estatais e de promover a privatização do restante, resguardando e preservando o interesse e a soberania nacional.

Diante da manifestação expressa por parte de Jair Bolsonaro sobre suas intenções e seus planos de governo, desafiamos os demais postulantes à presidência a fazerem o mesmo: que apresentem seus futuros ministros para áreas relevantes como economia e defesa. E digam aos eleitores em quanto pretendem reduzir o número de ministérios.

Esse desafio estende-se especialmente ao senhor João Amoedo, pré-candidato do Partido Novo, que acredita que seu grande trunfo é fazer campanha sem recorrer ao fundo partidário,  mas que ao mesmo tempo mantém-se em silêncio ante o fato de candidatos a deputado de seu partido estarem associados a entidades globalistas como Renova Br e RAPS.

Estas entidades,  sob pretexto de oferecer capacitação e treinamento, estão na prática procurando viabilizar postulantes ao parlamento em diversos partidos de esquerda, com o objetivo de comprometer esses futuros parlamentares com a defesa de uma agenda globalista que atenta contra a liberdade e a soberania nacional. Além da legalidade questionável desse tipo de iniciativa, pois trata-se da tentativa de formar um lobby antecipado, esse tipo de prática vai na contramão daquilo que entende-se por renovação das práticas políticas no país.

Se postulantes a presidência pretendem de fato promover uma renovação política no país, que comecem dizendo claramente onde e em quê pretendem renovar, como tem feito Jair Bolsonaro, em vez de simplesmente fazerem vista grossa para as práticas que simplesmente oferecem mais do mesmo, mas com um figurino novo. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

Comente com seu perfil do facebook: