por paulo eneas
Após tentativa frustada de manobra da defesa, que tentou cassar o direito de voto da presidente da corte por meio de uma interpretação casuística e desonesta do Regimento Interno do STF, Carmen Lucia deu início à leitura de seu voto, respaldada pelo direito pro-forma de votar que lhe foi conferido pela maioria, em resposta à manobra da defesa. Após uma breve exposição, a presidente deu seu voto negando o pedido de habeas corpus ao criminoso petista, e com isso liquidou a votação da matéria em um placar de seis a cinco.

O ministro Marco Aurélio tentou manter a cautelar que concedeu o salvo-conduto ao condenado. A tentativa foi frustrada e a extensão do salvo-conduto foi negada foi negada por ampla maioria. Portanto, Lula voltou a ser a partir de hoje aquilo que ele é: um criminoso comum condenado pela justiça federal em segunda instância a doze anos e um mês de prisão em regime fechado por corrupção e lavagem de dinheiro, e será preso nos termos que determina lei no decorrer dos próximos dias.

O resultado é uma vitória dos brasileiros de bem, que foram às ruas ontem para exigir o cumprimento da lei e da justiça. O resultado reflete a pressão das mobilizações e a pressão das ações judiciais encaminhadas por centenas de ativistas em todo o país. Mas não temos dúvida de que o principal fiador desse resultado foram as honrosas Forças Armadas Brasileiras, cujos oficiais da mais alta patente da ativa e da reserva assumiram o risco e vieram a público para deixar claro que não iriam permitir que o País entrasse na rota do caos e da desordem.

Assim como em 1964, Brasil mais uma vez foi salvo da tragédia do comunismo e da corrupção generalizada pela ação patriótica e inteligente das Forças Armadas, que agiram como sempre de acordo com a lei sua missão institucional. Diferentemente de 1964, dessa vez não foi preciso dar nem um tiro nem sair dos quarteis nem colocar tanques nas ruas: bastou os lobos uivarem.

Nota:
Esse artigo encerra mais de quinze horas de trabalho ininterrupto nosso na cobertura do julgamento do habeas corpus nessa quarta-feira. Nossos agradecimentos à equipe que colaborou conosco: Angélica Ca, Débora Portugal e Dra, Camile Pacheco. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

Comente com seu perfil do facebook: