O PEN/Patriota Ainda Deve Explicações Ao Público

A despeito de ter destituído na terça-feira o advogado Antonio Carlos Kakay na ação direta de constitucionalidade ADC 43 sobre a prisão em segunda instância, não sem antes literalmente chantagear a Nação por dois dias procurando obter espaço e evidência na imprensa, o partido PEN/Patriota continua a dever uma explicação para o público.

Afinal, porque o partido foi constituir uma advogado notoriamente ligado aos interesses dos petistas e de políticos investigados pela Lava Jato? Faz parte do programa do partido a defesa da não-prisão após condenação em segunda instância? Se sim, por que o partido defense essa posição e por que foi ingressar no STF com essa matéria?

O episódio serve para reforçar a posição que o Crítica Nacional defende há muito tempo. Somos pela ampla liberdade de organização partidária, e entendemos não haver problema algum em existir dezenas de partidos políticos. Nos Estados Unidos, por exemplo, existem centenas de agremiações partidárias.

O que o País precisa com urgência é extinguir o fundo partidário e o fundo eleitoral, e iniciar um processo de desestatização da vida político-partidária, além de estabelecer critérios mais rígidos de representatividade em nível nacional para que um partido possa ter acesso e representação no Congresso Nacional. A pataquada protagonizada pelo PEN/Patriota nesse episódio reforça nossa convicção. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

Comente com seu perfil do facebook: