por paulo eneas
Alguns dos episódios recentes de criminalidade cujos desfechos foram emblemáticos, seja no sentido positivo como a da policial militar paulista que neutralizou um criminoso armado na porta de uma escola, seja no sentido negativo como o do assassinato de policiais ocorrido essa semana, estão suscitando abordagens distintas em uma parcela ainda pequena da grande imprensa e mesmo do establishment político.

Apesar de ainda prevalecer na grande imprensa a narrativa esquerdista favorável aos criminosos e demonizadora das ações da polícia, o establishment político começa a reconhecer que essa narrativa não encontra eco na maioria da população. Segundo a Folha de São Paulo de hoje, pesquisa qualitativa encomendada pelo governo estadual paulista mostra que mais de noventa por cento da população apoiou a ação da policial Katia Sastre, que neutralizou um criminoso armado em frente à escola de seu filho. 

Por sua vez, o jornalista Elio Gaspari em sua coluna essa semana no mesmo jornal, foi na mesma linha de defesa dos policiais, ao publicar artigo com o título Os Dois PMs de São Paulo Merecem Festa, ao descrever e comentar duas ações recentes de policiais que neutralizaram criminosos em ação.

Ainda que as motivações de parte da grande imprensa e mesmo do governo paulista sejam outras, inclusive de cunho eleitoral, é fato que a hegemonia que a esquerda e os progressistas em geral exerciam até pouco tempo sobre o tema da criminalidade já não existe mais. Essa hegemonia vem sendo não apenas quebrada, mas derrotada e substituída pela abordagem correta que a direita conservadora vem trazendo junto à opinião pública.

Uma abordagem que defende a vida das pessoas de bem em primeiro lugar, que apoia e prestigia o trabalho das polícias e que trata o bandido e o criminoso como ele deve ser tratado: não como uma vítima da sociedade, mas como um pária que precisa se excluído, na forma da lei, da vida social. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário