por paulo eneas
Na entrevista concedida na noite dessa segunda-feira ao JHN Channel, o economista Paulo Guedes, apontado como futuro Ministro da Economia de um provável governo de Jair Bolsonaro, pautou grande parte de sua fala pela crítica contundente à socialdemocracia, considerada por ele a principal responsável pelo nosso atraso econômico e pelas mazelas sociais e políticas ainda presentes em nosso país. 

De nossa parte, sempre afirmamos que a raiz dos problemas nacionais encontra-se nas décadas de hegemonia de políticas públicas de esquerda levadas a cabo pela socialdemocracia ou por seu irmão siamês, o socialismo. Políticas essas que resultaram em um processo de verdadeira destruição civilizacional da sociedade brasileira em todas as esferas da vida pública, desde a economia até a educação, passando por segurança pública e saúde, entre outras.

Ao longo das últimas décadas, esquerda foi bem-sucedida nesse intento de destruição civilizacional da sociedade brasileira por que ela sempre atuou por meio de dois braços: o braço socialdemocrata representado pelos tucanos, e o braço socialista-comunista representado pelos petistas, e seus respectivos satélites e aliados no estamento burocrático.

Esses dois braços também foram bem-sucedidos por apresentarem-se em público como sendo supostamente antagonistas um do outro, com os socialistas-comunistas rotulando de direita os seus irmãos siameses socialdemocratas, naquilo que alguns autores chamam de estratégia das tesouras. No entanto, o processo político recente na sociedade brasileira levou à quebra dessa estratégia de dissimulação por parte dos socialdemocratas e dos socialistas-comunistas.

Hoje está mais claro aos olhos de parcela expressiva da população que essas duas correntes de esquerda são ambas faces de uma mesma moeda. E essa clareza foi propiciada pela própria conjuntura política que, marcada pela ascensão da direita, tem empurrado as duas correntes de esquerda uma em direção a outra. Exemplo disso é que figuras como o tucano-mor Fernando Henrique Cardoso, o líder da socialdemocracia brasileira, ou mesmo João Doria, já vem há tempos verbalizando a defesa que sempre fez de seus amigos e companheiros petistas.

No vídeo reproduzido abaixo, o autor e escritor Bernardo Pires Küster mostra vários momentos em que o líder tucano faz a defesa explícita das pautas de esquerda que seu partido e os petistas defendem em comum, além da defesa também explícita dos principais dirigentes petistas hoje encarcerados. Para Fernando Henrique Cardoso, os crimes de corrupção praticados pelo agente do serviço secreto cubano e um dos principais estrategistas do movimento comunista no país, José Dirceu, são apenas erros.

Também para Fernando Henrique Cardoso, teria sido ruim para o país fazer o impeachment do ex-presidente petista, hoje condenado e preso pela justiça, ainda que houvesse todos os elementos de prova dos crimes cometidos por Lula já em 2005 na época do mensalão. Naquele momento daquele ano, preocupados em proteger seus companheiros comunistas e socialistas, os tucanos tomaram uma decisão que legou aos brasileiros mais dez anos de governos petistas. Foram os dez anos necessários para os petistas destruírem a economia nacional, e transformar a nação em um anão diplomático e no país mais violento do mundo.

O resgate da civilização brasileira passa hoje pela necessidade de os brasileiros de bem derrotarem, nas urnas, as forças políticas de esquerda que até aqui exerceram a hegemonia política no país: os petistas e os tucanos. Por isso, não basta aos agentes políticos conservadores e de direita mirarem somente no já moribundo petismo. Pois o desafio dos brasileiros de bem nas eleições desse ano consiste em liquidar de vez também com os tucanos, os principais fiadores e co-responsáveis pela tragédia que se abateu no país durante a era petista. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário