por paulo eneas
Os indicadores econômicos pioraram nos últimos dias, e isso ficou evidenciado pela alta do dólar e pelo desempenho das bolsas, além das projeções de menor crescimento esperado no PIB para esse ano. Há fatores externos que contribuem para esse cenário, relacionados principalmente à taxa de juros norte-americana. Mas do ponto de vista interno, o principal fator responsável por essa piora é o próprio governo que, imobilizado e incapacitado e fragilizado politicamente, adotou medidas na área econômica que contribuíram para esse cenário negativo.

A ingerência desastrosa do governo no mercado de combustíveis, trazendo novamente tabelamento e controle de preços, subsídios, reserva de mercado, uma aparente inflexão à era petista na gestão da Petrobras, o abandono por completo de qualquer iniciativa de reforma do Estado e da administração pública que viabilize uma redução dos gastos públicos e a consequente perspectiva futura de redução da carga tributária, entre outras medidas, estão entre os fatores internos que contribuem para esse cenário de piora da economia.

No entanto, alguns analistas da grande imprensa continuam vendo apenas aquilo que desejam enxergar. Esses analistas insistem em atribuir ao que chamam de supostas incertezas no cenário eleitoral a responsabilidade pela degradação do ambiente econômico. Trata-se ao nosso ver de uma construção de narrativa falsa e artificial, destinada unicamente à guerra política sob pretexto de fazer análise econômica.

Em primeiro lugar, não existe incerteza no cenário eleitoral: o que existe hoje é, se não uma certeza, mas uma clara e inequívoca tendência de vitória da direita com Jair Bolsonaro. Essa tendência de vitória da direita já foi assimilada e bem recebida pelo mercado, como mostra uma pesquisa qualitativa feita essa semana pela XP Investimentos, que comentamos no artigo Percepção Do Mercado: Jair Bolsonaro Como Âncora Econômica, publicado também essa semana.

Em segundo lugar, essa construção de narrativa falsa serve de ante-sala para a narrativa futura, igualmente falsa, que começará em breve a ser construída, e que consistirá em atribuir à iminente vitória da direita a responsabilidade pela piora dos indicadores econômicos. Já vimos esse filme com esse mesmo roteiro antes, nas eleições americanas, quando analistas econômicos previam uma piora da economia americana se o supostamente protecionista Donald Trump vencesse as eleições.

Como é sabido, Donald Trump venceu as eleições e governa os Estados Unidos, e a economia americana nunca esteve tão bem, gerando milhares de empregos mensais. E os mesmos analistas que vaticinavam um desastre econômico não tiveram nem mesmo a dignidade de virem a público para reconhecer e admitir que estavam errados.

Muito possivelmente assistiremos o mesmo enredo acontecer aqui no Brasil, caso se confirme a tendência de vitória de Jair Bolsonaro e a consequente melhora das expectativas econômicas por conta de seu programa econômico de viés liberal que, seguramente, irá dar novo rumo à hoje combalida economia brasileira. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

Comente com seu perfil do facebook: