por paulo eneas
Há cinquenta anos morria o brasileiro Mário Kozel Filho, soldado do Exército Brasileiro. Mário Kozel foi assassinado na madrugada de 26 de Junho de 1968 em um atentado terrorista a bomba contra o Quartel do II Exército em São Paulo. O atentado foi cometido por integrantes do grupo guerrilheiro comunista Vanguarda Popular Revolucionária, do qual faziam parte os petistas Dilma Rousseff e Diógenes José Carvalho de Oliveira, entre outros.

Mário Kozel Filho foi um dentre as centenas de brasileiros que foram assassinados de maneira covarde pelos grupos de guerrilha comunista que começaram atuar no país no início dos anos sessenta, antes mesmo do contra-golpe de 31 de Março de 1964, conforme mostramos em artigo nesse link aqui de maio desse ano. Os assassinos de Mário Kozel Filho jamais responderam pelos seus crimes por conta da Lei da Anistia, que foi elaborada justamente para blindar os inúmeros crimes cometidos pela guerrilha e pelos grupos terroristas comunistas antes e durante o período do regime militar. 

Além de não responderem judicialmente pelos inúmeros crimes de homicídio, tortura, prática de terrorismo, sequestros e cárcere privado, entre outros, que cometeram desde o início dos anos sessenta, grande parte dos guerrilheiros e terroristas comunistas daquele período, beneficiados pela Lei da Anistia, passaram a receber indenizações dos cofres públicos, a chamada bolsa ditadura, instituída pelo socialista tucano Fernando Henrique Cardoso, indenizações essas que hoje que custam milhões por mês aos cofres da União.

Por sua vez, a grande maioria das vítimas das ações de terrorismo e guerrilha comunistas daquele período jamais recebeu um centavo de indenização. Em julho de 1968, o presidente Costa e Silva assinou decreto admitindo Mário Kozel Filho no Corpo de Graduados Efetivos do Ordem do Mérito Militar, e o promoveu a 3o Sargento.

A avenida onde fica a sede do Comando Militar do Sudeste recebeu nome de Avenida Mário Kozel Filho em sua homenagem. E no ano de 2005 os deputados Elimar Máximo Damasceno e Jair Bolsonaro apresentaram um projeto de lei que inscreve o 3o Sargento Mário Kozel Filho no Livro dos Heróis da Pátria.

Homenagem do Comando Militar Sudeste
Nessa quinta-feira, dia 05/07/2018, será realizada uma homenagem ao Sargento Mario Kozel Filho na sede do Coimando Militar do Sudeste, em São Paulo. A cerimônia de homenagem foi anunciada no website oficial do Exército Brasileiro, que publicou um texto, cuja íntegra pode ser vista nesse link aqui, que termina da seguinte forma:

O período que atravessamos clama pela interrupção dos fracionamentos induzidos pelas políticas identitárias trazidas no bojo das ideologias contemporâneas, faz necessário que as instituições cumpram os papéis que lhes são destinados e impõe a submissão das querelas pessoais e institucionais aos interesses da nação, de forma a colocar o Brasil acima de tudo. Este é o legado do soldado Kozel.

O Crítica Nacional estará presenta na cerimônia de homenagem ao Sargento Mario Kozel Filho, que será realizada na sede do Comando Militar do Sudeste nessa quinta-feira a partir das 10h30min da manhã.

Sugerimos também ao leitor o artigo que publicamos no início do mês maio em resposta a uma campanha difamatória da Rede Globo contra os militares. Nesse artigo, listamos os crimes cometidos pelos grupos terroristas de esquerda durante o regime militar. O artigo pode ser acessado nesse link aqui, ou diretamente mais abaixo. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews

Resposta À Rede Globo: Os Crimes Cometidos Pelos Terroristas Durante O Regime Militar

Comente com seu perfil do facebook: