Jair Bolsonaro no Debate da Band: Bolsonaro Protagoniza Alguns Momentos

No início do terceiro bloco, Alckmin mostrou sua habilidade na velha política ao falar com cinismo da Lava Jato, mesmo tendo feito alianças com partidos cujos integrantes são investigados pela operação. Alckmin tergiversa e fala em reforma política e redução do Estado, após ter estado quase duas décadas na chefia do governo paulista sem ter tomado qualquer medida nesse sentido.

Meirelles promete ampliar o bolsa família e Alckmin repete seu discurso monocórdico sobre o tema. Nenhum dos dois candidatos tem a coragem de colocar o dedo na ferida e dizer que que o programa serve na prática para formar corrais eleitorais e aumentar a dependência dos mais pobres em relação ao poder político.

Bolsonaro aborda Daciolo para usar como gancho para falar das piores práticas da classe política representada pelos demais candidatos no debate. Desafiou o público a dizer nome de ministros, mas mostrar a irrelevância dos atuais ocupantes, que lá estão apenas a serviço de seus partidos. Terminou quase com um discurso, dizendo ser o único capaz de mudar essas práticas. Foi possível ouvir aplausos no estúdio. Foi o melhor momento de Bolsonaro e de todo o debate até agora, que continua morno e enfadonho.

Ciro Gomes e Marina Silva batem bola com elogios mútuos, quando ambos eram ministros do ex-presidente petista hoje condenado e preso, falando da transposição do Rio São Francisco. Após ambos dizerem generalidades sobre o tema, o invasor de propriedades Guilherme Boulos teve a ideia genial de fazer perguntas a Henrique Meirelles, e com isso conseguiu cravar o momento mais irrelevante do debate.

Cabo Daciolo teve a iniciativa correta de tentar denunciar a Ursal, mas foi inabilidoso ao colocar a questão para Ciro Gomes. Na réplica, o candidato dos comunistas chineses reafirmou sua proposta de ajudar, sem dizer como, de ajudar pessoas com nome no SPC. Quando lançou essa pergunta a Jair Bolsonaro, este ironizou e devolveu para o próprio Ciro para que ele dissesse como iria fazer isso. Ciro enrolou e não disse como. Na sua tréplica, Bolsonaro usou de humor para deixar claro que a proposta de Ciro é surreal e implicaria uma gigantesca interferência do Estado na economia.

Novamente Bolsonaro protagonizou um dos poucos momentos em que a debate saiu de seu tom monótono e enfadonho. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

Comente com seu perfil do facebook: