O Telhado de Vidro do Tucano Geraldo Alckmin: Suspeita de Caixa Dois

A campanha eleitoral começou oficialmente nessa quinta-feira, e nesse exato momento o candidato presidencial com maior probabilidade de vitória já no primeiro turno é Jair Bolsonaro. De nossa parte, acreditamos que esse quadro de favoritismo do candidato da direita irá manter-se ao longo das próximas semanas até a eleição.

Dentre os demais concorrentes, o único que talvez possa apresentar alguma remota possibilidade de fazer frente ao líder da direita é o tucano Geraldo Alckmin, que formou a maior coligação em disputa nesse pleito. Uma coligação que reúne partidos com integrantes investigados ou citados em investigações da Lava-Jato.

Se não bastasse a vulnerabilidade de sua coligação, o próprio candidato presidencial tucano apresenta ele mesmo um formidável telhado de vidro: Geraldo Alckmin poderá tornar-se alvo de duas ações movidas pelo Ministério Público de São Paulo no âmbito de uma investigação envolvendo suspeitas de improbidade administrativa.

Nessa quarta-feira, o candidato tucano teve que interromper sua pré-campanha para prestar depoimento nesta investigação, que foi aberta após delações de diretores da Odebrecht. Segundo essas delações, as campanhas de Geraldo Alckmin de 2010 e 2014 teriam recebido mais de 10 milhões de reais em caixa dois, pagos pela construtora.

Se a denúncia a ser oferecida pelo Ministério Público for aceita pela justiça, o presidenciável tucano irá tornar-se candidato-réu por suspeita de improbidade administrativa e enriquecimento ilícito. Se for condenado, o tucano Geraldo Alckmin poderá ficar impedido de exercer função pública e perderá seus direitos políticos. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário