por paulo eneas
O General de Exército da Reserva Augusto Heleno fez o seguinte comentário a respeito da demora da justiça em declarar a inelegibilidade do chefe criminoso petista condenado e cumprindo pena em regime fechado:

Será que em algum país sério do mundo o órgão máximo da Justiça Eleitoral e o próprio Supremo Tribunal Federal levariam mais de 3 meses para declarar que um presidiário não pode ser candidato? Pior ainda – candidato a Presidente da República – Cmt Supremo das Forças Armadas. Será que homens e mulheres, supostamente de conduta ilibada e notório saber, não percebem que atitudes como essa são responsáveis pelo descrédito crescente dos brasileiros de bem, principalmente os jovens, com respeito às instituições nacionais?
Gen. Heleno

O comentário do General Heleno está em linha com afirmações feitas já desde o ano passado e também recentemente pelo General Hamilton Mourão, candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro, e ambas vão no sentido de dizer que espera-se e exige-se que as instituições, especialmente a justiça, cumpram com seu dever de garantir a lei e a paz social.

Em nosso entender, garantir a lei e a paz social significa não permitir em hipótese alguma que um ladrão corrupto e lavador de dinheiro já condenado pelos seus crimes venha sequer cogitar a possibilidade de pleitear a chefia da Nação e o Comando das Forças Armadas.

Por essa razão, reiteramos o que foi afirmado em nosso artigo publicado ontem, e que pode ser lido nesse link aqui: o chefe criminoso petista não será candidato, e ponto. E é inútil que a grande imprensa controlada por comunistas tente mudar essa realidade, seja por meio de desinformação, seja por meio de artifícios como a inclusão do nome do criminoso petista em pesquisas eleitorais forjadas e adulteradas. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews

Nota: Cmt = Comandante


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário