por paulo eneas
O Estado de Roraima vive uma crise por conta da entrada descontrolada de venezuelanos em território nacional, causado uma sobrecarga nos já precários serviços públicos locais, além do aumento da violência e da criminalidade. Essa situação provocou uma revolta por parte da população, que está sendo vítima de uma verdadeira invasão que tem ameaçado a vida e a propriedade dos brasileiros de Roraima.

A origem desse problema encontra-se de um lado na ditadura chavista narco-comunista da Venezuela que promoveu a completa destruição do país vizinho, causando um êxodo estimado de quase três milhões de venezuelanos, o que corresponde a cerca de dez por cento da população daquele país.

Do ponto de vista dos brasileiros, a origem do problema está na famigerada Nova Lei de Migração, que transformou o Brasil num país de fronteiras abertas no qual qualquer pessoa vinda de qualquer parte do mundo pode entrar, sem ser impedida disso. Essa realidade foi retratada no artigo  Tensão & Violência Na Fronteira Brasil-Venezuela, publicado no último sábado, mostrando o acirramento das tensões em Roraima, especialmente na cidade de Pacaraima.

O Crítica Nacional entende que os brasileiros devem prestar solidariedade ao povo venezuelano que sofre as consequências de um regime socialista-comunista que vem destruindo aquele país. Mas a nossa solidariedade não pode em hipótese alguma vir às custas de nossa soberania, da defesa e controle de nossas fronteiras, e muito menos às custas da segurança da vida e da propriedade dos brasileiros. 

O governo brasileiro precisa retomar o controle da fronteira com a Venezuela, e começar a separar o joio do trigo, permitindo o ingresso em território nacional somente de pessoas que comprovadamente são de bem e que estejam sofrendo perseguição ou ameaça ou risco às suas vidas. É imprescindível que o ingresso de venezuelanos no país seja condicionado à capacidade da infra-estrutura de serviços públicos básicos do Estado, especialmente de Roraima. 

O que é inadmissível é a entrada indiscriminada de estrangeiros, a política de open borders, que tem permitido a entrada de criminosos, delinquentes, ladrões, invasores de propriedades e até mesmo agentes políticos do regime de ditadura comunista daquele país. Não existe argumento de solidariedade que justifique abrir as fronteiras nacionais indiscriminadamente para delinquentes e criminosos e agentes políticos de um regime de ditadura.

Obviamente existem inúmeros venezuelanos de bem que vieram para o Brasil e aqui vivem cumprindo e respeitando as leis brasileiras, como por exemplo a venezuelana Mariana S. Frechon, venezuelana que vive legalmente no Brasil e que enviou ao Crítica Nacional a carta reproduzida abaixo, na qual ela pede desculpas aos brasileiros pelos eventos ocorridos em Pacaraima nesse fim de semana.

Com grande sentido de pesar, me dirijo a vocês como venezuelana que mora no Brasil, um país que tem meu respeito, gratidão e amor. Em um sentido de pedir desculpas, por uma situação que não acalmaria os ânimos de tristeza e pena, mas que faz parte do sentido de consciência.

Nós venezuelanos lamentamos e repudiamos o ato bárbaro acontecido com o Senhor Raimundo Nonato de Oliveira e família, e também os diferentes atos que estão sendo cometidos na cidade de Pacaraima, fronteira da Venezuela e Brasil; sabendo que não é o sentimento geral da população brasileira para conosco.

Nós venezuelanos, que decidimos sair do nosso país e fomos recebidos aqui no Brasil, com essa solidariedade e hospitalidade características dos brasileiros, e que desejamos fazer as coisas corretamente, de forma legal; não compactuamos de maneira alguma com aqueles que por decisão pessoal decidem agir de jeito ilegal, nem bandidagens, trazendo prejuízos para a sociedade brasileira.

Eu, permitindo-me falar no nome da comunidade dos cidadãos de bem venezuelanos que moram no Brasil, pois meus conterrâneos expressam o mesmo sentimento de vergonha, pena e tristeza; desejamos que a situação seja resolvida de forma pacífica e sem mais situações que devamos lamentar, e continuar trabalhando fortemente como irmãos que querem fazer as coisas corretamente no crescimento positivo da nossa América Latina.

Atenciosamente, 
Mariana S. Frechon D.

O Crítica Nacional continuará acompanhando o desdobramento da situação em Roraima e ainda hoje mais tarde trará a publicação de uma moradora do Estado descrevendo em detalhes a situação de crise pela qual os brasileiros roraimenses estão passando em decorrência da nova legislação imigratória brasileira, legislação essa que atenta contra a nossa soberania e contra a segurança nacional. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário