por paulo eneas
Faltando dezesseis dias para a eleição presidencial, o que estamos assistindo é o derretimento do candidato do chamado Centrão, acompanhado do empenho visível da grande imprensa e dos institutos de pesquisa para promover o crescimento artificial da candidatura do poste nacional do presidiário petista, com o objetivo quase desesperado de fazer esse Cavalo de Troia Manco dos comunistas contrapor-se à força eleitoral avassaladora de Jair Bolsonaro.

Esse cenário tem servido de pano de fundo para a disseminação de todo tipo de mentira e invencionice por parte da grande imprensa a respeito das condições de saúde de Jair Bolsonaro e sobre sua relação com seus aliados e apoiadores. Algumas dessas mentiras e desinformações merecem ser desfeitas de imediato:

a) Não existe nem nunca existiu proposta de volta da CPMF. O chamado imposto do cheque foi um imposto a mais criado para cobrir rombos da Previdência e do orçamento público. A proposta da equipe econômica de Jair Bolsonaro, chefiada por Paulo Guedes, consiste em promover uma redução de impostos federais e uma racionalização do sistema tributário, por meio da substituição de diversos tributos federais por um só, nos moldes do chamado Imposto Único, concebido pelo economista Marcos Cintra. A proposta ainda está em elaboração e não guarda relação alguma com a odiada CPMF, em relação a qual Jair Bolsonaro sempre se posicionou e votou contra.

b) Não houve nem nunca existiu ordem dada por Jair Bolsonaro diretamente do leito do hospital para que Paulo Guedes ou o General Hamilton Mourão deixassem de fazer campanha. Essa mentira foi plantada na grande imprensa com o objetivo de insinuar a existência de algum conflito entre Bolsonaro e as duas pessoas mais importantes de seu futuro governo: seu vice-presidente e seu ministro da economia. Esse conflito não existe nem nunca existiu, e plantação da notícia visou somente alimentar disputas internas e causar insegurança e instabilidade nos mercados.

c) Jair Bolsonaro está em plena recuperação de sua saúde, conforme pode ser visto mais abaixo no vídeo que ele divulgou nessa sexta-feira. O comentário feito essa manhã por Marco Antônio Villa na Jovem Pan contestando as informações oficiais do Hospital Albert Einstein, que atestam a melhoria de saúde de Bolsonaro, foram levianos e mentirosos, e desafiamos o professor de história a provar a provar a veracidade de suas afirmações.

d) Não existe reprovação ou contestação ao modo pelo qual o General Hamilton Mourão tem conduzido a campanha nos eventos em que ele tem comparecido em substituição a Jair Bolsonaro. As especulações na grande imprensa e principalmente nas redes sociais sobre a natureza do excelente papel que vem sendo desempenhado pelo General Mourão não encontram respaldo na realidade. Iremos tratar com mais detalhes desse ponto em um próximo artigo. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


Comente com seu perfil do facebook: