Urgente: Não Existe Autorização Judicial Para Adélio Bispo Conceder Entrevistas

Atualização:
Diferentemente do que foi afirmado no texto abaixo, a sede do TRF1 é em Brasília e não em Belo Horizonte-MG.

O jornalista Políbio Braga deu um furo de reportagem na tarde dessa segunda-feira, 24/09, ao informar que, contrariamente ao que vem sendo noticiado pela imprensa e circulando nas redes sociais nos últimos dias, não existe autorização judicial para que o criminoso Adélio Bispo de Oliveira, que tentou matar Jair Bolsonaro, conceda entrevistas à imprensa. Uma entrevista que seria uma segunda facada, dessa vez virtual, de Adélio contra Jair Bolsonaro, nas palavras de Políbio Braga.

De acordo com a apuração feita pelo jornalista, as informações de que o juiz Bruno Savino, de Juiz de Fora-MG, teria autorizado a realização destas entrevistas são falsas. Políbio Braga informa que falou por telefone com a Terceira Vara Federal em Juiz de Fora-MG, que remeteu o assunto para o TRF1, que tem sede em Belo Horizonte, e que concentra as informações sobre o caso. O TRF1 informou formalmente ao jornalista que a notícia não procede.

Segundo Políbio Braga, a competência de decidir e autorizar ou não a entrada de pessoas e deferir pedidos relativos ao cumprimento de prisão cautelar, que é o caso de Adélio, é do juiz que comanda a execução de prisões provisórias e cautelares no âmbito do Presídio Federal de Campo Grande-MS. Esta decisão ainda não foi tomada, de modo que não existe autorização alguma para o criminoso conceder tal entrevista. 

No vídeo publicado junto com a reportagem em  seu website, que pode ser vista nesse link aqui, o jornalista comenta que ao ler a decisão do juiz Bruno Savino estranhou a atitude do Ministério Público, que concordou com o pedido de entrevista, conforme havíamos informado mais cedo aqui no Crítica Nacional.

Ainda segundo o jornalista, a decisão do juiz não faz qualquer menção a qualquer manifestação da outra parte, ou seja, da defesa de Jair Bolsonaro, que teria se omitido de pronunciar-se sobre o pedido. Políbio Braga informa ainda que entrou em contato com a defesa do capitão, questionando sobre o porquê da ausência de um assistente de acusação.

Com a colaboração de Débora Portugal. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews



 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário