por paulo eneas
Conforme foi noticiado na noite dessa sexta-feira, o Tribunal Superior Eleitoral decidiu abrir investigação sobre denúncia feita pela reportagem da Folha de São Paulo a respeito de suposta irregularidade na campanha de Jair Bolsonaro no uso do aplicativo de troca de mensagens WhatsApp.

A investigação, aberta pelo corregedor do TSE, Jorge Mussi, corresponde ao inquérito policial na esfera cível ou criminal: trata-se de uma etapa na qual não existem réus nem ninguém sendo processado, mas somente o levantamento de elementos que mostrem indícios de materialidade de algum crime ou de alguma ilegalidade. 

Encerrada a etapa do inquérito, o tribunal poderá abrir uma ação penal com base nas conclusões das investigações. Esta ação penal irá apontar eventuais réus, terá que ouvir testemunhas, ouvir o contraditório da defesa e seguir todos os procedimentos determinados para o devido processo legal, até que seja proferida alguma sentença. 

Tanto a investigação aberta nessa sexta-feira quanto a possível ação penal dela decorrente, se houver, levarão no mínimo alguns meses para sua conclusão. Durante esse período nada muda quanto ao status jurídico da chapa Jair Bolsonaro/Hamilton Mourão, incluindo sua diplomação após a vitória já esperada no segundo turno.

Em nosso entender, o único objetivo dessa denúncia da Folha de São Paulo, denúncia essa baseada numa reportagem escrita pela militante petista Patrícia Campos de Mello, é promover guerra psicológica a poucos dias da eleição, além de tentar criar uma situação de chantagem jurídica na esfera do TSE contra o futuro governo de Jair Bolsonaro. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


Folha de São Paulo & Petistas: Um Abraço de Afogados No Mar Do Jornalismo Mentiroso

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário