por paulo eneas
Uma frase simples serviu como palavra de ordem nas inúmeras e incontáveis manifestações cívicas que marcaram e que marcam a vida política nacional nos últimos anos: a nossa bandeira jamais será vermelha. A simplicidade da frase resume em si um sentimento presente na esmagadora maioria da população brasileira, um sentimento de repulsa e rejeição às décadas de predomínio das políticas públicas de esquerda e de viés socialista dos governos que se sucederam nesse período.

Esse sentimento de repulsa à esquerda é reforçado pela repulsa às práticas de corrupção generalizada que marcaram os governos de esquerda do país, tanto tucanos quanto petistas, ao longo desses anos, e que levaram milhões de brasileiros a irem às ruas não apenas para protestar, mas para resgatar o país em suas mãos. Em todas as manifestações anti-esquerda desses anos a palavra ordem que afirma que a nossa bandeira jamais será vermelha esteve presente.

O Brasil ao longo desse curto período mostrou ser uma Nação que rechaça a mentalidade e os valores esquerdistas, a despeito das décadas de hegemonia da esquerda nos meios de comunicação e em muitas das instituições de Estado e de formação da cultura e do imaginário, como as escolas e universidades, bem como o meio artístico. Uma hegemonia que foi quebrada, e que seguramente deixará de existir nos próximos anos.

O crescimento fulminante da direita conservadora e liberal em período recente, a despeito da ausência de uma estrutura partidária sólida, e a possibilidade concreta de essa direita conquistar a presidência da república nesse domingo, são a evidência cabal da índole conservadora e anti-esquerdista do povo brasileiro.

O resultado da eleição desse domingo irá expressar o espírito presente nas ruas e nas  redes sociais nos últimos anos, e que foi sintetizado na afirmação de que a nossa bandeira jamais será vermelha. As poucas pesquisas confiáveis disponíveis afirmam também que a maioria dos brasileiros espera essa resultado das urnas, e qualquer outro resultado diferente desse irá carecer de legitimidade e de reconhecimento por parte da população.

A vitória da direita nesse domingo, o que nós do Crítica Nacional avaliamos que irá ocorrer por uma margem razoável de 60% ou mais dos votos, mostrará que a palavra de ordem que diz que a nossa bandeira jamais será vermelha terá sido mais do que uma palavra de ordem de mobilizações de rua: terá sido um vaticínio benfazejo de um povo disposto a retomar em suas mãos as rédeas de seu destino. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews



Comente com seu perfil do facebook: