O Semipresidencialismo de Gilmar Mendes: Retórica do Establishment Derrotado

    O Ministro Gilmar Mendes, do STF, defendeu nessa segunda-feira o chamado semipresidencialismo, que ele alega ser um modelo conhecido por estudiosos e que supostamente seria uma alternativa às limitações de nosso sistema presidencialista. O ministro argumenta que o fato de dois ex-presidentes terem sofrido impeachment nos anos recentes seria um sintoma da fragilidade do regime presidencialista brasileiro.

    O argumento do ministro é sofismático e falacioso. O problema do sistema político brasileiro não está no presidencialismo, mas sim na corrupção das instituições, incluindo o poder judiciário. Dois ex-presidentes sofreram impeachment não por conta do regime presidencialista, mas por serem corruptos. Resta aos brasileiros usarem também do instrumento legal do impeachment para aplicá-lo a integrantes do STF, para dar prosseguimento à assepsia política necessária no país.

    Ao falar de semipresidencialismo, Gilmar Mendes está apenas usando de um subterfúgio retórico que lhe é próprio para tentar, em vão, contestar a legitimidade do presidente recém-eleito pela vontade soberana da maioria da população. Eleito que foi justamente por ser a expressão da repulsa dos brasileiros a um esquema político e de poder do qual o ministro Gilmar Mendes constitui-se na mais bem acabada e típica expressão. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


     

    Comente com seu perfil do facebook: