por paulo eneas
Encerrada as quase vinte e quatro horas de sessão para a escolha da mesa diretora, o senador Davi Alcolumbre (DEM-MA) foi eleito em primeiro turno para a Presidência do Senado, conforme havíamos antecipado em nossa cobertura como sendo o resultado mais provável. Renan Calheiros sofreu uma derrota espetacular, também conforme antecipamos, e teve que retirar sua candidatura.

Ficou patente nesse processo a mão forte do governo federal, a despeito das tentativas sutis ou explícitas da grande imprensa, que a todo momento não escondia sua predileção por Renan Calheiros, de passar a ideia de que o governo teria interesse na vitória do senador alagoano por supostas razões pragmáticas.

A vitória de Davi Alcolumbre fortalece o DEM, que passa a comandar as duas casas do parlamento, além da presença forte no governo. Esse fortalecimento do Democratas obviamente levanta algumas questões e óbices, mas é também resultado material objetivo da falta de maturação política e organizacional do PSL como principal partido de sustentação do governo.

Uma vez definidas de maneira favorável ao governo as chefias da Câmara dos Deputados e do Senado, a agenda nacional aprovada nas urnas no ano passado terá início de fato a partir da próxima segunda. E terá início com o Governo Bolsonaro estando numa posição de sustentação parlamentar mais favorável do que a esperada, o que seguramente irá refletir positivamente no humor e expectativas de agendes econômicos e indicadores de mercado. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

Comente com seu perfil do facebook:
COMPARTILHAR