por paulo eneas
Nos últimos dias e especialmente essa semana circularam na imprensa insinuações, ou mesmo afirmações explícitas, de que o Governo Bolsonaro estaria articulando para a vitória de Renan Calheiros para a presidência do Senado, por conta de um suposto compromisso do senador alagoano com as reformas a serem propostas pelo governo. Essa semana, O Antagonista publicou nota informando de maneira enviesada um telefonema do Presidente Bolsonaro para Renan. O blog foi, mais uma vez, desmentido em público.

A Globo News, por sua vez, tem adotado essa linha de modo sutil, com seus comentaristas afirmando que uma derrota de Renan Calheiros iria deixar “feridas abertas” e criaria uma grande dificuldade para o governo no Senado. Além disso, atribui-se a integrantes da equipe econômica a iniciativa de articulação política em favor do senador, em nome de um suposto pragmatismo para a votação das reformas.

Segundo apuramos, nenhuma dessas ilações procedem. Se houve uma propensão a esse suposto apoio a Renan por parte de integrantes da equipe econômica, isso apenas revela que a equipe possui excelentes economistas e técnicos, e não pessoas com habilidade para a disputa política. Pois é preciso muita inabilidade política para acreditar em algum entendimento dessa natureza com o senador alagoano.

Na hipótese de vitória de Renan na disputa para a presidência do Senado, possibilidade essa que ficou maior por conta do ativismo judicial do STF nessa madrugada, o senador alagoano estará na condição de fazer o que sempre fez: estar numa posição de poder para chantagear e colocar o governo em situação de refém do chefe do Senado. Ainda que possa ser posteriormente mitigado, esse seria o pior cenário possível para o governo no Senado. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

Comente com seu perfil do facebook: