A Situação na Venezuela Segundo o Coronel Enio Fontenelle

Conversamos rapidamente nessa quinta-feira com o Coronel Enio Fontenelle, que foi diretor do Serviço Nacional de Informações – SNI – durante os governos do General Figueiredo e de José Sarney, e é hoje o principal analista político brasileiro, além de estrategista e conhecedor profundo de geopolítica, que nos deu sua avaliação preliminar sobre a situação de momento na Venezuela e de seus possíveis desdobramentos.

Segundo o Coronel Enio Fontenelle, os militares venezuelanos não podem se rebelar sozinhos, porque há uma grande quantidade de militares cubanos e de outras nacionalidades dentro do país. E a punição para motins é a morte. O coronel avalia também que a maioria dos militares está ao lado povo venezuelano: a repressão ao povo não é feita pelos militares, mas pelos “coletivos” e por mercenários.

O Coronel enfatiza que o Brasil não tem intenção de iniciar uma guerra, por conta da cláusula pétrea de nossa Constituição que fala do princípio da não agressão. Ele avalia que a Organização dos Estados Americanos – OEA – poderá intervir militarmente por meio de forças multinacionais, incluindo os Estados Unidos, que são imbatíveis, juntamente com o Brasil e Colômbia em contingentes menores.

Segundo o Coronel, uma vez deflagrada essa intervenção militar via OEA, o exército venezuelano deporá as armas praticamente sem luta. Isso tudo, se o ditador Nicolas Maduro não fugir antes. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário