Ditador Maduro Rompe Com Colômbia & Tenta Dividir Grupo de Lima

Em um gesto revelador da pressão a que está submetido, o ditador Nicolas Maduro informou hoje o rompimento de relações diplomáticas com a Colômbia, ao mesmo tempo em que mostrou-se disposto a aceitar ajuda humanitária internacional somente do Brasil e da União Europeia, desde que essa ajuda seja paga pela Venezuela.

O rompimento com a Colômbia é puramente retórico, uma vez que todos os países do Grupo de Lima, além dos Estados Unidos, aprovaram resolução apresentada pelo Brasil no início do ano onde fica claro que não reconhecem Maduro como governante legítimo venezuelano. A resolução refere-se a ele claramente como ditador. E ao dizer que aceita ajuda humanitária brasileira, mas não colombiana, o ditador tenta promover uma divisão no Grupo de Lima, que tem sido liderado com eficiência pela chancelaria brasileira.

Cabe agora ao Grupo de Lima e à diplomacia brasileira deixarem claro para o ditador Maduro que ele não está na posição de impor condições para receber ajuda humanitária. E deixar claro que essa ajuda será enviada independentemente da concordância dele, por meio de entendimentos com o presidente interino reconhecido pela comunidade internacional: Juan Guaidó.

Cabe também ao Grupo de Lima enfatizar ao ditador Maduro que sua única opção é entregar o poder pacificamente, para não promover mais sofrimento ao povo venezuelano. Nicolas Maduro precisa entregar o poder e ser levado a julgamento em tribunal internacional pelos crimes contra a humanidade que ele praticou contra seu próprio povo. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário