Manifestações de 26 de Maio: Nunca Se Viu Nada Igual

 

por paulo eneas
As manifestações ocorridas na principais cidades brasileiras nesse domingo foram históricas e inéditas em todos os sentidos. Inéditas porque pela primeira vez na história brasileira a população foi às ruas em massa para manifestar-se a favor de um presidente eleito, e em defesa de uma pauta e de uma agenda de governo que essa mesma população aprovou nas urnas.

Ao longo da história recente, os brasileiros têm ido às ruas para protestar contra o governo de turno ou para manifestar-se contra determinada diretriz política. Foi assim com o movimento de impeachment, que foi uma mobilização de massas contra o governo petista, e foi assim nas mobilizações de cerca de dois anos atrás contra a Lei de Imigração.

No entanto, as manifestações desse domingo tiveram um caráter totalmente distinto: milhares e milhares de brasileiros foram para as ruas espontaneamente e de maneira pacífica para defender seu presidente, para defender o futuro do País, e para deixar claro que são a favor das propostas de reformas apresentadas pelo Presidente da República.

Um novo patamar de clareza e maturidade política da sociedade brasileira
Esse fato, inédito na história política brasileira, assinala um novo patamar de clareza e de compreensão política por parte do segmento informado da sociedade brasileira. Esse segmento informado, presente e também representado pelos milhões de manifestantes que foram às ruas no domingo, entende que o Brasil precisa definir um novo rumo como Nação, após mais de trinta anos de prevalência das políticas de esquerda tucano-petistas.

Esse mesmo segmento elegeu o Presidente Bolsonaro, apoia as suas propostas de reforma e mostrou-se disposto a ir às ruas para exercer pressão democrática sobre os parlamentares para assegurar que essas propostas se tornem realidade. Nada semelhante a isso ocorreu na história política recente do País.

Analistas políticos que tentam ignorar esse ineditismo, esse caráter propositivo, patriótico e democrático das manifestações desse domingo, e que tentam minimizar sua relevância estão incorrendo no mais brutal dos erros de análise e demonstram desconhecer as profundas mudanças que têm ocorrido na sociedade brasileira nos últimos anos.

Mudanças essas que refletiram-se na própria eleição de Jair Bolsonaro, mas que não se esgotaram nela, como as manifestações desse domingo mostraram. Ignorar ou minimizar esse fato é substituir a análise político pelo ativismo de redação ideologicamente motivado, como de resto ocorre com quase toda grande imprensa brasileira.

Neste domingo os brasileiros elegeram Bolsonaro pela terceira vez
Quem sai fortalecido das manifestações desse domingo é em primeiro lugar o povo brasileiro, que vem paulatinamente tomando em suas mãos as rédeas do destino do País. Sai também fortalecido o Presidente Bolsonaro, que foi aclamado ontem nas manifestações como líder inconteste da Nação. Um líder em que o povo confia e a quem, simbolicamente, foi conferida uma terceira vitória, após as vitórias nos dois turnos da eleição passada.

O Presidente Bolsonaro pôde confirmar ontem que ele tem o apoio do povo ao seu governo e às suas propostas de reformas. Propostas essas que não faz sentido algum serem chamadas de impopulares: são propostas de reforma que o povo apoia, e demonstrou esse apoio indo em centenas de milhares para as ruas para defendê-las. De novo, cumpre enfatizar: nunca se viu nada igual na história política brasileira.

As manifestações também produziram seus perdedores. Em primeiro lugar perdeu o Centrão, que acreditava poder livremente sabotar as reformas, por meio de chantagem ao presidente, sem sofrer as consequências políticas dessa atitude leviana e irresponsável com o País. O povo nas ruas ontem mostrou o tamanho do ônus político a ser arcado por aqueles que insistirem em seguir por essa rota contrária aos interesses nacionais.

Perdeu também quem apostou no fracasso das mobilizações. Perdeu principalmente o MBL, um ex-movimento de rua cuja principal liderança rapidamente integrou-se ao establishment político tão logo foi eleita e que ao longo da semana juntou-se à grande imprensa para mentir a respeito do caráter das mobilizações.

Erraram miseravelmente nas suas escolhas e análises, pois o povo ontem mostrou que as ruas não têm dono, exceto o próprio povo que decide para elas ir quando bem entender, sem precisar do endosso ou aprovação de nenhum partido, grupo ou movimento político. Também sob essa aspecto, nunca se viu nada igual, o que torna o 26 de maio de 2019 uma data emblemática na histórica política brasileira. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews



CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário