por paulo eneas
O relatório da proposta da Nova Previdência apresentado ontem (02/07) pelo deputado Samuel Moreira prevê uma economia de R$1.074 trilhão de reais no período de dez anos. A proposta original do governo elaborada pela equipe do ministro Paulo Guedes previa uma economia de R$1.236 trilhão, mas sem elevação de tributos.

Na proposta apresentada no relatório, o resultado líquido de R$1.074 trilhão resulta de uma redução de despesas de R$ 933.9 bilhões e um aumento de receitas por meio de tributos e fim de isenções no valor de R$ 137.4 bilhões.

O relatório prevê a redução de despesas da previdência distribuída da seguinte forma:
a) Redução de gastos de R$ 688 bilhões com o Regime Geral da Previdência Social (RGPS), que inclui as aposentadorias da iniciativa privada e das estatais.

b) Redução de R$ 136 bilhões no Regime Próprio dos Servidores Federais.

c) Redução de R$ 74 bilhões através da redução da faixa de renda das pessoas habilitadas a receber o abono salarial.

d) Redução de R$ 33 bilhões por meio do combate a fraudes nos pagamentos dos Benefícios de Prestação Continuada, BPC.

Do lado da geração de receitas, o relatório prevê o fim da isenção da contribuição previdenciária dos exportadores rurais, com uma receita prevista de R$ 83.9 bilhões no prazo de dez anos. Essa proposta possivelmente irá encontrar alguma resistência, pois poderá afetar em parte a competitividade internacional das exportações agrícolas.

Ainda do lado das receitas, o relatório propõe a elevação de 15% para 20% da alíquota da Contribuição Social Sobre Lucro Líquido (CSLL) dos bancos, com previsão de geração de receita de R$53.5 bilhões também em dez anos.

Ao propor o aumento da contribuição com base no lucro dos bancos, o relatório criou uma dificuldade para os partidos de esquerda que, por serem contra a reforma, precisarão explicar a seus eleitores porque estão preocupados em preservar o lucro dos bancos. A votação do relatório na Comissão Especial terá início nessa quarta-feira (03/07) à tarde. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE