Conforme divulgado nessa segunda-feira (08/07), o ministro Sérgio Moro irá licenciar-se do cargo entre os dias 15 e 19 de julho. A licença será não-remunerada e as razões alegadas são de natureza particular. O mais provável é que o fato corresponda exatamente ao que foi noticiado: o ministro vai tirar uma licença não remunerada para ocupar-se de assuntos privados.

No entanto, pode-se conjecturar que essa licença tenha a ver com os desdobramentos das investigações que a Polícia Federal está conduzindo em relação ao caso das ações de espionagem e vazamentos de conversas entre agentes públicos empreendidas por Glenn Greenwald e pessoas ligadas a ele, praticamente todas do PSOL.

O grupo chefiado pelo agente político norte-americano residente no Brasil subestimou a capacidade de investigação e de contra-espionagem da Polícia Federal e demais órgãos de inteligência do Brasil. Possivelmente o cerco está se fechando e nos próximos dias venham a ser executados mandatos de busca, apreensão e de prisão.

Estando o Ministro da Justiça, que é o chefe da Polícia Federal, afastado formalmente do cargo, não haverá espaço para a construção de narrativas mentirosas da esquerda, que tentará acusar o ministro de agir por motivações pessoais ou de “vingança” contra aqueles que hoje são suspeitos de estarem promovendo ação ilegal contra o próprio ministro e contra a Operação Lava Jato. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews

LEIA TAMBÉM:
O Que Pode Significar a Reunião de Glenn Greenwald Com Quarenta Advogados


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE