Brasil Assume Presidência Rotativa do Mercosul


por angelica ca
O presidente Jair Bolsonaro participa nesta quarta-feira (17/07) em Santa Fé, Argentina da 54ª Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul. O presidente argentino Maurício Macri passou a presidência pró-tempore (rotativa) do bloco para o presidente brasileiro. O Brasil estará à frente do bloco por um período de seis meses, e será o anfitrião da próxima reunião programada para ser realizada no fim deste ano em Bento Gonçalves (RS).

O bloco conta com cinco países membros: Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e a Venezuela que está suspensa desde dezembro de 2016. No entanto, a Venezuela irá participar da primeira vez como nova integrante do bloco com representantes do presidente interino venezuelano, Juan Guaidó, reconhecido pelos demais membros do bloco como único presidente legítimo da Venezuela.

Outros cinco países sul-americanos participam na condição de associados (Bolívia, Chile, Colômbia, Equador e Peru). O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo em entrevista ao Portal do Palácio do Planalto, afirmou:

[exite] um clima muito positivo de um Mercosul que está renascendo, um Mercosul que está abandonando um período de estagnação, um período de pouca produtividade e que está se reorganizando.

Durante sua participação na reunião do conselho no Mercosul, o chanceler brasileiro afirmou o Brasil está com quatro grandes acordos em negociação, e que serão feitos esforços para fechar o maior número possível de acordos semelhantes durante a presidência brasileira no bloco.

Nós queremos continuar esse ritmo muito bom que adquirimos nas negociações externas. Então estamos aí com quatro grandes acordos em negociação. Vamos tentar fechar o maior número possível deles agora nessa presidência, senão no ano que vem, mais com a área europeia de livre comércio, com o Canadá, Coréia do Sul e Singapura.

No mês passado, a equipe liderada pelo Embaixador Ernesto Araújo na Europa comemorou o acordo fechado pelo Mercosul com a União Europeia. Embora deva demorar ainda dois anos para a sua total implementação, pois o acordo precisa ser ratificado pelos parlamentos de todos os países envolvidos, em linhas gerais ele irá beneficiar muito a economia brasileira com a queda de tarifas aduaneiras de importação e exportação.

Na abertura da cúpula, o Presidente Bolsonaro, também fez referência ao acordo firmado pelo Mercosul com os países da zona do euro. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário