por paulo eneas
Quatro pessoas foram presas nessa terça-feira pela Polícia Federal na Operação Spoofing, destinada a desbaratar a organização criminosa que invadiu celulares do ministro Sérgio Moro e de procuradores da Lava Jato. As informações roubadas dos celulares foram divulgadas com endosso pelo site The Intercept.

O site The Intercept é financiado pelo iraniano Pierre Omidyar, e é dirigido pelo agente político comunista Glenn Greenwald, que por sua vez possui notórias ligações com espião russo Edward Snowden e com agentes de espionagem e guerra cibernética russos.

Pesa sobre Glenn Greenwald a suspeita de ter comprado o mandato parlamentar de Jean Wyllys, possibilitando que em seu lugar assumisse um certo David Miranda, figura obscura, frágil e politicamente despreparada que, aparentemente, é mantido sob estrito controle de Glenn Greenwald.

As prisões foram executadas nas cidades de São Paulo, Araraquara e Ribeirão Preto, todas no Estado de São Paulo. Foram presos três homens e uma mulher, além de terem sido executados sete mandados de busca. As identidades dos presos não foram reveladas até o momento, e eles serão transferidos para Brasília para responder ante à justiça federal.

O cerco se fecha contra Glenn Greenwald
O prosseguimento das investigações possivelmente chegará em curtíssimo prazo até Glenn Greenwald, que aparentemente é o agente político coordenador de toda a ação criminosa contra a Lava Jato, o Ministro Sérgio Moro e os procuradores. Havendo indícios o bastante, a Polícia Federal poderá solicitar à justiça a retenção do passaporte de Glenn, que ficará assim impedido de fugir do Brasil.

Também existe a possibilidade de que o andamento das investigações venha a apontar na direção de David Miranda. Ainda que revestido da imunidade parlamentar, David Miranda mostra-se ser o elo mais fraco da rede, por ser politicamente despreparado, frágil, medroso e incapaz de lidar com a situação na qual está aparentemente envolvido.

Diante de uma situação de tensão, seguramente David Miranda se mostrará disposto a colaborar com as investigações sobre esse que foi, até agora, o mais ousado crime cometido por agentes comunistas contra as instituições nacionais.

O Crítica Nacional antecipou a operação
O Crítica Nacional antecipou essa operação em artigo publicado no dia 09/07, cuja íntegra pode ser vista nesse link aqui. Nele, comentávamos as férias de uma semana do ministro Sérgio Moro e dissemos o seguinte:

O grupo chefiado pelo agente político norte-americano residente no Brasil subestimou a capacidade de investigação e de contra-espionagem da Polícia Federal e demais órgãos de inteligência do Brasil. Possivelmente o cerco está se fechando e nos próximos dias venham a ser executados mandados de busca, apreensão e de prisão.

Essa antecipação não foi baseada em informação privilegiada de fonte, mas unicamente em uma análise política do desfecho esperado contra o crime continuado praticado por Glenn Greenwald e pelas pessoas a ele associadas. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews

LEIA TAMBÉM:
O Que Pode Significar A Licença do Ministro Sérgio Moro


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE