por clau de luca e paulo eneas
O Governo Bolsonaro lançou hoje o Programa Médicos para o Brasil, que virá em substituição ao antigo programa Mais Médicos criado na era petista e que se destinava a subcontratação de pessoas de capacidade duvidosa para fins de financiamento do regime de ditadura comunista cubano, além de servir de instrumento de propaganda ideológica esquerdista de demonização dos médicos brasileiros.

O objetivo do programa é levar médicos para as regiões mais afastadas do país, priorizando atendimento de atenção de saúde primária no SUS (Sistema Único de Saúde), além de formar médicos especialistas em medicina da família e comunidade.

A novidade nesse programa é a forma de contratação desses médicos: os profissionais serão contratados em  regime de CLT, enquanto no programa anterior a contratação era temporária por um período de três anos. O valor do salário que atualmente é de 11.8 mil reais irá aumentar, podendo haver gratificações de acordo com a lotação do médico.

Quanto à seleção, será feita uma prova objetiva. Os contratos em vigor serão respeitados e a substituição do antigo programa para o novo será gradual. A expectativa é manter as dezoito mil vagas nos mais de cinco mil municípios do país.

Os cubanos inclusos no programa anterior, que ficaram no Brasil após o fim do acordo com a ditadura comunista cubana, não estão incluídos no Programa Médicos pelo Brasil. Segundo o governo, a situação destes profissionais ainda está sendo analisada em busca de alternativas para que possam vir a exercer sua atividade profissional em território brasileiro. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews