por paulo eneas
O Brasil já gastou quase R$10 bilhões com a chamada Bolsa Ditadura, um benefício inaceitável que contempla com indenizações e pensões um total de 39.370 pessoas que supostamente foram vítimas de algum tipo de abuso durante o regime militar.

Entre os beneficiados pela bolsa, está o presidiário e chefe criminoso petista Lula, que recebe cerca de cinco mil reais mensais enquanto cumpre pena de prisão em Curitiba por corrupção e lavagem de dinheiro.

Criada no ano de 2002 durante o governo tucano de Fernando Henrique Cardoso, a bolsa tornou-se um meio para milhares de pessoas tirarem vantagem financeira, às custas do erário público, da narrativa mentirosa que a esquerda criou sobre aquele período da história nacional.

O número total de beneficiados é próximo de quarenta mil, e é desproporcional em todos os aspectos, se considerarmos que havia pouco mais de algumas centenas de pessoas engajadas em guerrilha e atividades terroristas de esquerda durante o regime militar e que envolveram-se em enfrentamentos diretos com as polícias estaduais e as Forças Armadas.

É fato que a guerrilha de esquerda foi derrotada nas armas nos anos sessenta e setenta. Mas também é fato que essa mesma esquerda foi inteligente e cínica o bastante para retornar à cena política triunfalmente ao final do regime militar, conquistar o poder e dar início à destruição econômica e moral do País durante cerca de vinte anos.

Um destruição que foi acompanhada pelo esforço de humilhação das Forças Armadas, e que atingiu seu ápice no circo da Comissão da Verdade, e que estendeu-se sob a forma de uma humilhação imposta a todos os brasileiros, que passaram a pagar indenizações e pensões àqueles que tentaram implantar uma ditadura comunista em solo nacional. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário