por angelica ca e paulo eneas
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou em 02 de agosto a aprovação da antecipação do pagamento de mais R$ 40 bilhões que foram tomados junto ao Tesouro Nacional via títulos de créditos da União. E nesta terça-feira (06/08) o presidente do banco, Gustavo Montezano, confirmou devolução antecipada de mais R$ 40 bilhões ao Tesouro Nacional.

Conforme anunciado pela instituição, essa nova antecipação está alinhada à meta de aceleração das devoluções ao Tesouro Nacional, e trata-se da terceira meta das cinco anunciadas pelo recém empossado presidente Gustavo Montezano. Somente este ano, o BNDES já devolveu à União cerca de R$ 84 bilhões. O objetivo do banco é concluir a devolução de recursos da União que totalizam um montante de R$ 126 bilhões.

Gustavo Montezano tomou posse do cargo no dia 16 de julho, em substituição a Joaquim Levy. Já na posse o novo presidente de um maiores bancos de fomento do mundo, Gustavo Montezano, afirmou que sua primeira meta à frente do BNDES é explicar para a população brasileira o que é ou que foi a caixa-preta do BNDES, um tema que ele admite que mantém o banco na mídia social de forma negativa: “o contribuinte brasileiro tem que saber toda a verdade e responsabilidades”.

Durante a era petista, o BNDES saiu de um patamar de R$60 bilhões em caixa no ano de 2004 para mais de R$ 600 bilhões em 2015. Esse aumento expressivo de disponibilidade de recursos foi conseguido em grande parte por meio de recursos do Tesouro Nacional. Durante esse período, o banco serviu para financiar, sem as devidas garantias, obras de infra-estrutura em países comunistas como Cuba e Venezuela.  #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE