por paulo eneas
Incapazes de atacar o Presidente Bolsonaro com fatos concretos naquilo em que ele é inatacável, que é seu compromisso com o enfrentamento à corrupção e ao crime em geral e a defesa e apoio aos agentes da lei e da ordem, a grande imprensa optou por criar narrativas imaginárias para fazer o público acreditar que o presidente abriu mão destes princípios éticos que marcaram seus trinta anos de vida política.

Publicações como O Antagonista, a Revista Crusoé, O Globo, Folha de São Paulo e outras, têm procurado fazer o público acreditar que o presidente estaria de conluio com o que há de pior do estamento político brasileiro com o objetivo de sepultar a Lava Jato, e desgastar e até mesmo livrar-se do Ministro Sergio Moro, além de supostamente estabelecer relações não republicanas com presidente do STF, ministro Dias Toffoli, para obtenção de um suposto acordo para proteger Flavio Bolsonaro.

Esse é o pano de fundo presente em todas as matérias e notas publicadas por esses veículos nos últimos dias, especialmente na manhã dessa segunda-feira (19/08). Em todas as notas e artigos é dado como líquido e certo a disposição do Presidente da República de deixar de lado o interesse republicano para privilegiar interesses familiares privados, o que constitui uma acusação ao caráter e à honradez do Presidente Bolsonaro.

O objetivo dessa estratégia presente nessas matérias, as quais iremos dissecar em notas aqui no Crítica Nacional ao longo do dia, é o de minar confiança dos eleitores e da ampla maioria de brasileiros que votaram em Jair Bolsonaro justamente pelo seu histórico de compromisso com o combate à corrupção e ao crime e com a defesa dos agentes da lei e da ordem.

É esta maioria que constitui a verdadeira base de apoio do presidente na sociedade, e que expressou claramente este apoio nas bem-sucedidas manifestações de 26 de maio e de 30 de junho. Manifestações essas que impediram ou ao menos bloquearam a tentativa de tirar os poderes constitucionais do presidente por meio da adoção casuística do parlamentarismo branco.

Grande imprensa inimiga do País e do governo
A grande imprensa, toda ela sem exceção, nunca escondeu ser inimiga do País e inimiga do Governo Bolsonaro. O presidente foi eleito apesar dessa grande imprensa e das narrativas mentirosas e estereotipadas que ela sempre produziu ao longo de décadas em relação a Jair Bolsonaro.

Essa mesma imprensa procura agora mirar não diretamente no Presidente, mas nos seus apoiadores na sociedade. Pois essa imprensa sabe que a eventual perda de apoia na sociedade representaria dificuldades intransponíveis para o governo.

Em vista disso, entendemos que não cabe aos apoiadores históricos de Jair Bolsonaro dar crédito a essas narrativas da grande imprensa, e muito menos pôr em dúvida a honradez do presidente e duvidar de sua índole.

Em nosso entender, cabe aos apoiadores rechaçar essas narrativas, denunciar essa manobra vil da grande imprensa e mostrar que, justamente por ter atitudes assim, que essa grande imprensa, ao contrário do Presidente Bolsonaro, não merece credibilidade alguma. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário