por paulo eneas
A morte da menina Agatha Félix, de oito anos de idade, na noite da última sexta-feira no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro (RJ), deu motivos para a esquerda fazer o que sempre foi de seu feitio: proselitismo político sobre um cadáver. Agatha Félix foi morta com um tiro de fuzil durante confronto entre a polícia e traficantes que controlam o morro.

As circunstâncias da morte estão sendo investigadas pela polícia civil. No entanto, antes de qualquer conclusão das investigações, a esquerda e seus porta-vozes na grande imprensa já decidiram que os traficantes estão isentos de qualquer responsabilidade e que a culpa pela tragédia é da polícia.

Trata-se da repetição de um padrão de conduta que a esquerda e a imprensa adotam há décadas. O padrão que consiste em culpabilizar a priori as forças de segurança pelo violência e criminalidade, principalmente quando as vítimas são inocentes, ignorando o fato de que essa violência tem sua origem justamente no crime organizado.

Uma jornalista da Folha de São Paulo endossou a versão apresentada pelo pai da criança de que “um único tiro foi disparado, pela polícia”, ignorando o fato de que o crime organizado impõe aos moradores das regiões que controlam a obrigação de sempre culpar a polícia por tragédias dessa natureza, sob o risco de esses próprios moradores serem eles as próximas vítimas da ação dos criminosos.

A morte da menina Agatha está sendo usada também como “fato político”, para atacar as medidas de combate à criminalidade e à corrupção apresentadas pelo Governo Bolsonaro por meio do pacote anticrime do ministro Sérgio Moro.

O oportunismo político e a culpabilização a priori da polícia constituem-se numa radiografia do estado de delinquência moral que a esquerda implantou no País ao longo de décadas. Uma delinquência moral que confere à esquerda, e aos seus porta-vozes na grande imprensa, a liberdade para fazer proselitismo político sobre uma tragédia familiar, como a esquerda vem fazendo agora.

A esquerda que sempre protegeu e defendeu criminosos, demonizou o trabalho das polícias e permitiu que porções do território nacional passassem a ser controladas pelo crime organizado, procura agora culpar as forças da lei e da ordem por uma tragédia cujo único responsável é a própria esquerda, por conta de sua histórica bandidolatria.

Expressamos aqui nosso profundo sentimento de pesar e nossas condolências à família da menina Agatha Vitória Sales Félix, cuja morte trágica atinge e causa dor a toas as famílias brasileiras. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário